meme

Tag: Palavras Cruzadas

Antes de tudo, me ajudem numa coisa: tag e meme é a mesma coisa? Por que paramos de chamar de meme para chamar de Tag? Foi porque meme virou sinônimo de outra coisa? A Miche, que me indicou para responder esse meme/tag, chamou de meme. Eu tô chamando de Tag só porque desde 2012 parei de chamar de meme por aqui. Hahaha. Fico confusa!

Mais uma leva de perguntas sobre livros, assunto que nunca me cansa! Espero que não canse vocês também. :)

livros-mistura
Foto: Hudson Boston

1. “Vox Populi”: Um livro que recomendaria para todo mundo.
Uma série que eu já recomendo pra todo mundo: Harry Potter. Hahaha.
Mas gosto muito do Mate-me Por Favor, sempre recomendo quando a pessoa gosta de punk, mas acho que seria legal todo mundo ler. :)

2. “Maldito Plágio!”: Um livro que gostaria de ter escrito.
Agora lascou. Eu adoraria escrever uma biografia de alguém, daquelas que contam os podres da pessoa, sabe? Hahaha. Então escolho Mais Pesado que o Céu, umas das minhas biografias favoritas.

3. Não vale a pena derrubar árvores por causa disto.
Cem escovadas antes de ir pra cama. Li há alguns anos e lembro de ter pensado que só perdi tempo com esse livro. Achei chato, previsível, sem propósito… livro de menina novinha que quer chocar os outros, sem ter um porquê.

4. “Não é você, sou eu!”: Um livro bom lido na hora errada.
Comprei toda a série e não passei do primeiro livro: As Brumas de Avalon. Todo mundo elogia, mas acho que li quando já era mais velha e achei bem chatinho. Talvez se eu tivesse lido na adolescência tivesse gostado mais.

5. “Eu tentei…”: Um livro que tentou ler mas não conseguiu.
Já tentei ler dois livros do André Vianco e não aguentei, achei péssimo. Também tentei ler A Batalha do Apocalipse, mas não consigo me envolver muito com esse tipo de narração.

6. “Hã?”: Um livro que leu e não entendeu nada/ou um livro que teve um final surpreendente.
Não foi bem que eu não entendi, mas A Estratégia de Lilith é um livro bem doido.

7. “Foi bom, não foi?”: Um livro que devorou.
O último que li muito mais rápido do que achei que leria foi Christiane F., a vida apesar de tudo. Li em um dia e meio, acho.

8. Entre livros e tachos: Um personagem que gostaria que cozinhasse para você.
Dobby, de Harry Potter. Porque a comida feita pelos elfos domésticos de Hogwarts sempre teve uma cara tão boa! :O

9. Fast Forward: Um livro que podia ter menos páginas que não se perdia nada.
Nessa vou ter que concordar com a Miche: Senhor dos Anéis. Só li o primeiro livro porque não aguentei aquela lenga lenga toda do Tolkien, as cantorias sem fim… a história é boa, mas prefiro resumida no cinema.

10. Às cegas: Um livro que escolheria só por causa do título.
Um livro que escolhi pelo nome: Eu, o desaparecido e a morta. E me dei bem, a história era legal mesmo.

11. “O que conta é o interior”: Um livro bom com uma capa feia.
Adoro Outsiders, mas além do livro não ter edição nova aqui no país há muito tempo, todas que vi até hoje tinham capas horríveis.

12. “Rir é o melhor remédio”: Um livro que tenha feito você rir.
Ri bastante lendo Um Trabalho Sujo. Não consegui lembrar de algum livro mais recente que tenha feito eu rir tanto.

13. “Tragam-me os Kleenex, por favor.”: Um livro que tenha feito chorar.
P.S. I Love You. Chorei o livro inteeeeeiro, toda vez que a Holly recebia uma carta do Gerry eu morria de chorar.

14. “Este livro tem um V de volta”: Um livro que não emprestaria para ninguém.
Tenho alguns livros-xodó que não saem daqui de casa nem por um decreto. Os últimos que entraram pra essa lista foram esses dois sobre Harry Potter que ganhei da Lec. Coisa mais linda, tenho que fazer post sobre eles. São de babar. <3

15. “Espera aí que já te atendo”: Um livro ou autor que está adiando constantemente.
Toda a coleção de Dexter. Como não gostei muito dos dois primeiros livros, tô morrendo de preguiça de pegar o resto da coleção que está parada aqui na estante.

Tag: Louca por sapatos

Demorei, mas voltei com vídeo de tag! Hahaha. Gravei essa Tag 4 (QUA-TRO!) vezes e em nenhuma fiquei satisfeita. Uma hora tinha muito som vindo de fora, outra a luz não ficou boa.. e acabei me dando por vencida nesse vídeo, mesmo que tenha hora em que o sol bateu demais em mim. Acabou que no final já tinha cansado de responder e usei a primeira vez que gravei. Hahaha. Desculpa, tá?

Eu sempre fui maluca pra responder essa Tag, desde que assisti a Marina respondendo. Dois anos depois, cá estou eu respondendo ela!

Na afobação, esqueci de responder uma pergunta. Mas o vídeo ficou tão longo que nem fez falta. Hahaha. Socorro, preciso aprender a falar menos! :O

Award One Lovely Blog

Descobri o mundo dos blogs em 2002, quando trabalhava na vidraçaria dos meus pais durante o dia e ia para a faculdade à noite. Foi rápida a paixão e logo criei o meu. Naquela época praticamente ninguém tinha câmera digital (e quando tinha, era daquelas Sony de disquete! Êta velharia!) e a gente lia o blog sem nem ter ideia de como a pessoa que escrevia ali se parecia. Depois vieram as webcams e uma mania que eu amava, o fansigns! Os leitores basicamente escreviam bilhetinhos tipo “Eu <3 o Ana Carô”, tiravam foto na webcam (com aquela qualidade desgracenta!) e mandavam pros donos dos blogs. Eu sonhava em um dia receber um (e recebi! Pena que perdi os arquivos daquela época). E era nessa época em que rolavam os memes, tipo de questionário que um blogueiro indicava para o outro responder. A mania durou anos, no começo desse blog respondi vários e depois a coisa sumiu (e meme virou nome de outra coisa). Por isso quando vi a Raquel respondendo esse award lá no blog dela, fiquei cruzando os dedos pra ela me indicar pra responder, assim como as queridas Leticia e a Bia também fizeram. Sempre adorei esse tipo de post. Valeu, gente!

one-lovely

O “One lovely blog award” é um questionário com 11 perguntas que, após responder, você deve indicar para outros 11 blogs e avisá-los da indicação. Bem simples. :)

#1 Por que decidiu criar um blog e quando começou?
Como contei lá em cima, fiquei sabendo o que era blog em 2002. Antes, em 1998, eu já tinha uma página sobre minhas amigas de escola, falando um pouco sobre cada uma e tal, mas era feito manualmente, no Frontpage. Aí em 2002 eu tinha bastante tempo livre na vidraçaria e criei meu primeiro blog, no webbloger. Chamava Vida de Jô’Aninha e eu adorei escrever meu diarinho e ter respostas de gente que eu nunca tinha vido na vida, mas que se identificava com o que eu falava. De lá, fui convidada para ser host de uma menina que tinha um domínio próprio (coisa que era MEGA chique na época) e acabei mudando o nome do blog para Made of Stars. Acho que esse blog durou até 2003 ou 2004. Em 2005 eu tinha um livejournal, que era praticamente igual ao blog, mas tinha a vantagem de ser trancado – e assim só quem eu deixava podia ler.
Quando acabei a faculdade comecei a trabalhar mais e não ter mais tanto tempo para escrever, mas continuava lendo blogs alheios. Alguns anos depois o Twitter apareceu na minha vida e lá reencontrei um monte de gente que escrevia blogs que eu gostava, acompanhando mais de perto o “diarinho em 140 caracteres” deles e me empolguei a voltar a postar. Foi assim que, em um dia de tédio na agência, pedi ajuda à um colega para criar um nome e nasceu o Futricô. E depois de 6 anos, resolvi mudar o nome dele. ;)

#2 Quais benefícios o blog te traz?
O principal é matar a minha vontade de escrever, essa coisa meio jornalista wannabe que eu sempre tive. Adoro escrever e, não à toa, sou a doida dos blogs (desde que criei esse já participei de outros 4 ou 5).

#3 Qual é o post mais acessado?
Até agora nunca tinha ido procurar isso! E me surpreendi com o resultado: o mais visitado é um post de fevereiro de 2009 sobre roupas e objetos retrô. Gosto muito dele e foi uma delícia de fazer, mas não imaginava que seria ele.

#4 Você usa as redes sociais?
Bastante. Não sou muito fã do Facebook, desacostumei a falar tanto no Twitter… mas me dá o celular na mão que eu já fico vidrada no Instagram. Essa é minha rede social favorita ultimamente.

#5 Como o blog tem evoluído?
Nos primeiros dois anos do Futricô o blog cresceu muito mais do que eu imaginava, mas com a falta de tempo fui deixando ele um pouquinho abandonado (até que ano passado cheguei a passar mais de mês sem conseguir postar por aqui nenhuma vez). Agora, depois da mudança de nome e endereço, ando mega empolgada com ele. Voltei a fazer posts, a cuidar com carinho desse meu espaço e a retomar algumas parcerias que eu tinha deixado esquecidas por um tempo. A vontade é que eu consiga trazer coisas legais pra cá e mais conteúdo interessante, sem perder esse tom diarinho que ele tem e eu tanto gosto.

#6 Já viveu algum fato importante por causa do blog?
Foi por causa do meu primeiro blog que resolvi que queria trabalhar com criação para web, já que gostava da parte de arte e de programar em html. Aí fui, estagiei e vi que não poderia estar mais enganada e que gostava mesmo era de criar peças impressas. Também conheci grandes amigas por causa dele, pessoas que antes eram “fulana, leitora do blog” e hoje fazem parte do meu dia a dia e eu não trocaria isso por nada.

#7 De onde nasce a inspiração para escrever e continuar com o blog?
Da minha vida, das coisas que vejo por aí e acho legais demais para não contar pra alguém, de blogs legais que leio e me dão vontade de tentar fazer o meu ser tão legal quanto. Adoro perder tempo navegando pelos arquivos do blog, relembrando fases da minha vida, coisas que eu “descobri” e já até esqueci, querências que ficaram pra trás… continuo porque quero ter um arquivo de muitas coisas que vivi para reler daqui 10, 20 anos.

#8 O que você tem aprendido a nível pessoal e profissional esse ano?
Esse foi o ano mais louco da minha vida, com certeza. Desde os 17 anos eu não ficava sem um emprego fixo, sem procurar por um. Tirei o primeiro semestre para organizar a mudança, a viagem, descansar, tentar arrumar tudo o que achava que precisava de arrumação. Desde que voltei de viagem tenho trabalhado como freela, de casa, e tive que aprender a ser dona do meu tempo, a ter disciplina para não trabalhar demais – nem de menos. Tem sido muito bom, aprendi muito sobre mim, sobre o que quero, sobre conviver 24h por dia com a pessoa que amo. 2014 está sendo um ano muito bom e muito diferente do que eu imaginava que seria.

#9 Qual é sua frase favorita?
Desde que reli o Diário de Anne Frank estou com esta frase na cabeça: “Ich danke dir für all das Gute und Liebe und Schöne” – “Obrigada por tudo que é bom, amado e belo”. Bem o que penso no momento.

#10 Qual conselho você daria para quem está começando agora no mundo do blogs?
Escreva para você, sobre algo que você gosta, do jeito que você gostaria de ler em algum lugar. Gosta de ver mais fotos do que texto? Então faça isso. Você é fã de textos longos e reflexivos? Então se joga.
Uma coisa que aprendi em todos esses anos escrevendo é que não importa o seu estilo, você sempre vai encontrar alguém que goste do que você escreve, desde que seja o mais verdadeiro possível.

#11 O que os blogs que você vai indicar tem em comum?
São blogs que leio sempre, que não saem do meu feedly e com os quais me identifico de alguma maneira. Todos são escritos por gente interessante e que fala da própria vida de uma forma gostosa de ler.

Os indicados: 

lovely-blog-indicados

Ba Moretti • Bramare • Chocottone •  Diário de uma vida a 3E agora, Isadora? • Hype3 • In the Yellow BoxPaula Abrahao • Samba da Criola DoidaThe SupernovaVerossimil

PS: O Bramare já estava aqui indicado quando vi que a Bia também tinha respondido e me indicado. Postamos quase juntas. Heheh. :)