cultura

Clica aí, colega! #23

Não falei por aqui, mas avisei lá no Snapchat (me segue: @anacaroamaral): resolvi correr minha primeira meia maratona agora em outubro. E aí, eu que sou uma pessoa com o joelho meio zoado, percebi que teria que emagrecer um pouco para não sobrecarregar muito o coitado e dar conta do recado. Desde o começo de agosto estou firme e forte, cortei várias tranqueiras que consumia no dia a dia sem nem gostar muito e tô levando a vida mais saudavelmente, sem deixar de comer o que eu gosto. Só que a TPM é uma merda e eu só penso em comida nesse período. Por mim passaria o dia me entupindo de chocolate, comida gordurosa e tudo o que visse pela frente. Por isso abro os links dessa semana com três links que me fizeram babar MUITO:

links-semana-23-a

– Preguiça de sujar panela? Não tem problema, o Buzzfeed mostra 15 coisas que você pode fazer dentro de uma caneca, no microondas. Tem até rabanada! :O
– Esse friozinho pede uma sopa e se for de cebola, com queijo gratinado, melhor ainda. Receita do Gui Poulain.
Miche deu a receita das fátias húngaras que a avó dela faz e eu tô aqui lambendo a tela. :O
– Tem coisa que a gente só aprende ou entende quando vira dona de casa, seja morando sozinha ou acompanhada. A Amanda demorou só um mês para compreender algumas coisas que eu levei bem mais tempo. Haha.
Camies é a pessoa que encontra os documentários mais legais para assistir. Essa lista com 4 documentários sobre mulheres inspiradoras me deu vontade de largar o trabalho e passar o dia no sofá.

links-semana-23-b

– Você já se pegou pensando “Quando eu emagrecer 5kg, uso a saia mais curta” ou “Quando eu emagrecer um pouquinho volto a usar camiseta regata”. Pois é, eu já. E olha, não tem que ficar pensando nada disso não. Simbora usar a saia curta, a regata mostrando os braços, ser feliz. Esse post da Polly é exatamente sobre isso.
Lec fez uma ótima reflexão sobre nos colocarmos no lugar dos outros e o quanto julgamos e tomamos as dores de forma errada quando fazemos isso.
– O fotógrafo Marcos Hermes contou um pouco para o Uol sobre famosos que já fotografou. Sempre achei que os caras do Coldplay tivesse cara de nojentos. Haha.
– A Amanda deu a dica de 8 apps ótimos para quem vai viajar. Alguns eu já usei, mas outros fiquei bem curiosa pra testar.
– A lista é velha, mas sempre vale a pena ver 22 lugares inacreditáveis pelo mundo. Quem sabe não te inspira a testar os aplicativos do link acima? ;)

Tag: viciados em música

A Livs me indicou para essa tag e ó: foi difícil de responder. Passei dias pensando nas músicas que escolheria e, ainda assim, tenho a sensação de que se responder de novo as mesmas perguntas na semana que vem escolheria músicas diferentes. Coisa de geminiana? Pode ser. Mas eu acho que é mais culpa da minha falta de memória, com certeza deixei de fora músicas que adoro e não lembrei. :p

1 – Uma música romântica: Home – Edward Sharpe & the Magnetic Zeros


Música romântica não precisa ser parada, né? Amo a letra dessa música. AMO!
Taí uma que estará na trilha sonora do meu casamento, algum dia. Hahaha. ;)

2 – Uma música que te define: Velha e louca – Mallu Magalhães

Caramba, essa foi difícil. Como assim uma música que me define? Como uma música só pode me definir? Desculpa, acho que não rola isso. Então escolhi a música com a qual me identifico às vezes. Hahaha.
A parte com que mais me identifico é bem essa:

Nem vem tirar
Meu riso frouxo com algum conselho
Que hoje eu passei batom vermelho
Eu tenho tido a alegria como dom
Em cada canto eu vejo o lado bom

Quanto mais velha fico, menos paciência para os outros enfiando o bedelho nas minhas coisas e decisões eu tenho. ;)

3 – Que música não sai da sua cabeça? Sea of love – Cat Power

Uma das minhas músicas favoritas, super curtinha, romântica e simples. A voz da Cat Power combina super bem, coisa mais linda!
Conheci essa música quando assisti Juno. Aliás, toda a trilha sonora do filme é ótima, duvido você não se divertir com as músicas da Kimya Dawson.
Vira e mexe ela fica grudada na minha cabeça e como ouvi ontem, passei a manhã cantarolando ela. :)

4 – Uma música que quando você ouve, você chora: The letter edged in black – Johnny Cash

I bowed my head in sorrow and in sadness
The sunshine of my life, it all had fled
When the post man brought that letter yesterday morning
“Saying come home my boy, your dear old mother’s dead.”

Preciso dizer mais alguma coisa? Toda vez que ouço essa música fico com os olhos cheios d’água.

5 – Qual é sua música predileta no momento? Sugar – Marron 5

Não sei exatamente se é a minha predileta, mas é uma das que morro de vontade de sair dançando quando ouço e sempre fico feliz. Coloquei até na lista de músicas pra correr, de tanto que me dá pique.

6 – Que música você não consegue gostar? Qualquer uma do Jimmy Hendrix

Desculpa, mas não rola. Acho chaaaaaato solo de guitarra, morro de tédio. Nem as mais famosas dele consigo achar muito legais, no máximo aguento enquanto tocam no rádio.

7 – Cite um trecho de sua música predileta: Meu amigo Pedro – Raul Seixas


Eu não faço a mínima ideia de qual seja a minha música favorita. Mesmo. Sei nem dizer qual é a banda que mais gosto, quanto mais escolher uma música só. Não rola.
Então escolhi minha música favorita do Raul Seixas, que ele escreveu para o irmão. Depois que descobri que essa era a história da música, acho muito legal a letra. E tem maior verdade do que esse trecho abaixo? Acho que não. Tudo realmente acabada onde começou, na nossa família. <3

Pedro, onde você vai eu também vou
Pedro, onde você vai eu também vou
Mas tudo acaba onde começou
É que tudo acaba onde começou

8 – Sua música predileta brasileira: Eu preciso dizer que te amo – Cazuza, Bebel Gilberto e Dé


Ai que romântica! Hahaha.
Amo essa música, mas tem que ser exatamente nessa versão. É a primeira gravação, do dia em que eles compuseram a letra e a música, em um dia preguiçoso na serra do Rio. Amo a voz, amo o começo com o barulho do gravador sendo ligado, o violão calminho… não sei dizer se realmente é minha música brasileira favorita na vida (nunca sei definir essas coisas!), mas é uma das que sempre que ouço fecho os olhos e fico cantando juntinho, sabe? Bem brega, adoro. Hahah. :D

9 – Abra seu player em modo aleatório e diga qual é a 5ª música a tocar: Down the line – Buddy Holly

Eu basicamente só escuto música no modo aleatório. Só às vezes coloco um ou outro disco inteiro para ouvir, basicamente quando vicio nele (tipo o 1989 da Taylor Swift) ou quando gosto muito de todas as músicas e uso em momentos de muito trabalho, pra me dar um pique (tipo Sobrevivendo no Inferno, dos Racionais).
Como já estava ouvindo música no modo aleatório enquanto escrevia o post, fechei e abri novamente o iTunes, pra ter exatamente a quinta música. Hahaha. E foi Buddinho fofo que saiu, esse lindo. <3

10 – Tagueie 5 blogs:

Lecticia, Miche, Ba, Mari e Dani.

BEDA-2015

Andei lendo: Garota Exemplar | Gillian Flynn

garota-exemplar

Sempre tive curiosidade de ler Garota Exemplar, só pelo nome. Nunca tinha lido resenha dele ou procurado saber mais e jurava que era um livro água com açúcar, bem tipo Nicolas Sparks. Hahaha. Só quando saiu o trailer do filme, lançado no ano passado, que descobri que era uma história de mistério. Fiquei com mais vontade ainda de ler, adoro livros de crimes. :)

Nick e Amy Dunne se conheceram em Nova Iorque, casaram e tinham uma vida fabulosa por lá. Isso até ambos perderem o emprego, a mãe de Nick ficar doente e eles resolverem se mudar para a cidade natal de Nick, no interior do Mississippi. A ideia da mudança veio em uma época em que a relação dos dois já não estava tão bem e só ajudou a piorar tudo.

No aniversário de cinco anos de casamento, Amy desaparece. Os móveis da sala indicam que houve uma briga, o ferro de passar roupa ligado na tomada indica que Amy não tinha intenção de sair de casa e a presença de marcas de sangue no local mostram que ela foi ferida antes de ser tirada de casa. Ao longo da investigação, a falta de álibi e a relativa calma de Nick faz com que ele se torne o suspeito número um de ter assassinado a esposa.

Os pais de Amy são autores de uma série de livros infantis muito famosa, escrita desde a infância da filha. No livro, Amy Exemplar é sempre a aluna, amiga e filha perfeita, fazendo escolhas certas, levando uma vida correta e sendo querida e amada por todos. É com essa pressão que a Amy verdadeira cresce, é a esse padrão que ela sente que tem que corresponder. Por causa disso, o sumiço de Amy se torna uma febre nacional, com programas e programas dedicados ao assunto.

O livro todo é narrado por Nick e Amy e, mais para o final, acabamos descobrindo que uma das narrativas estava nos enganando o tempo todo. Achei muito interessante toda essa construção, realmente me surpreendeu. Também fez com que eu fosse alternando minha torcida, hora desejando que Amy ainda estivesse viva e hora achando que ela era uma chata, tinha que estar morta mesmo. Hahaha.

Quero muito assistir ao filme, mas ainda não deu tempo. Achei ótima a escolha de Ben Affleck e Rosamund Pike para os papéis principais, mas confesso que já imaginava os personagens com a cara deles enquanto lia, por causa do trailer. :X

Preço: R$ 22,41 no Submarino.

Este livro me ajudou a cumprir o item 04 do 2015 Reading Challenge.

BEDA-2015