séries

Clica aí, colega! #19

Um mês sem indicar links legais, caramba! :O

Começo com uma música incrível que relembra o que aconteceu nas temporadas anteriores de Game of Thrones, cantada pelo Peter Dinklage, que interpreta meu personagem favorito: Tyrion Lannister. A música foi feita para o Red Nose Day, um evento contra a pobreza, que rolou em maio. Mais informações aqui no UpdateorDie.

links-semana19a

– A notícia de que a Capricho não será mais uma revista impressa deixou toda adolescente dos anos 90 triste, né? Eu assinei a revista por quase 10 anos, adorava! Lembro de várias capas, várias matérias, lia e depois repassava pras amigas…. foi minha revista favorita por muito tempo. Me identifiquei bastante com o post que a Thereza Chammas fez falando desse fim.
– As Havaianas não param e ó o que vem por aí: edição especial Star Wars! Claro que tinha que ser um post do Garotas Geeks. <3
– Me apaixonei por alguns desses acessórios LINDOS que a Letícia postou. Vai lá conhecer as peças da Eclectic Eccentricity.
– Um mapa-raspadinha para você marcar por onde já passou. Desejei fooooorte essa dica do Hypeness.
– A Lívia tá fazendo uma série de posts sobre como organizar uma viagem para a Europa com custos reduzidos e ó: recomendo a leitura, tem bastante dica bacana. Era para eu ter dado essa dica há mais de mês, mas como o tempo passou sem eu nem ver, deu tempo da Lívia ir e voltar da viagem. Hahaha. Mas tudo bem, os posts continuam e estão ótimos!

links-semana19b

– Agora a notícia já tá até um pouco velha, mas continuo DOIDA MALUCA ALUCINADA só de pensar que talvez um filme ou uma série de Gilmore Girls realmente saia. Tô torcendo desde que li essa notícia do Séries do Momento.
– Mais um link do Garotas Geeks: vai lá ver 23 imagens que vão fazer você ver Harry Potter de outra maneira.
– Adoro esses posts do Paulo sobre ilustração e o que é essa série do Mario Bros vestido como outros personagens pop super famosos? Amei!
– Teoricamente a escravidão no mundo acabou há mais de século. Teoricamente, já que todo mundo sabe que rola muita escravidão e exploração de trabalhadores nesse mundão moderno. Já parou pra pensar nisso? Vem cá ler essa ótima matéria do Uol.
– A Lya contou um pouco como tem sido a vida de freelancer para ela e me identifiquei em vários momentos, mas principalmente com isso: “Sempre trabalhei em equipe e achei que sofreria muito da falta de outras pessoas ao meu redor, carrego hoje grandes amigos vindos do trabalho. Mas, tirei de letra. Acho que por ser alguém que consegue ficar bem sozinha.“. Sempre tive esse medo e, um ano e meio depois, posso dizer que sinto falta, mas é só quando passo muito tempo sozinha. Haha.

links-semana19c

– Uma “retomada” da cidade por cidadãos que querem fazer o espaço público um centro de lazer e cultura. Legal, né? É sobre isso que essa matéria da Trip fala.
– Um fotógrafo convidou um casal jovem que irá se casar para ser envelhecido com maquiagem, ver como eles podem ficar com o passar dos anos e registrar suas reações. Comecei assistindo por pura curiosidade e acabei emocionada, é muito legal ver como o visual mexe com os sentimentos deles. Vai lá no Awebic assistir o vídeo.
– Vira e mexe alguém me fala que não sabe como eu e o Henrique estamos juntos há 14 anos e nos damos tão bem. Além da gente se gostar, se respeitar e tudo mais, uma das coisas mais importantes para mim é exatamente o tema desse post da Jout Jout: os dois devem ter vidas paralelas ao relacionamento. Relacionamentos onde um dos dois (ou os dois) vivem exclusivamente par ao parceiro estão quase sempre fadados ao fracasso, hein? Aliás, fracasso de todo tipo de relacionamento porque provavelmente nem seus amigos e sua família estarão por perto quando vocês terminarem, ninguém aguenta gente assim. :p
– Adorei esse guia do Morri de Sunga Branca para quem foi contra o comercial de dia dos namorados d’O Boticário. Se é para boicotar empresas que apóiam o casamento gay, então é melhor fazer direito. Quero ver boicotarem todas essas empresas! Haha.
Caitlyn Jenner foi assunto por semanas e esse texto da Stephanie é maravilhoso. O que vale é isso mesmo: sermos livres para sermos quem bem entendermos.

Nesse último mês teve link daqui do blog por aí também: a Livia linkou meu post com dicas de Amsterdam. Obrigada! :**

Os 5 últimos assistidos no Netflix #2

Diana


Diretor: Oliver Hirschbiegel
Ano de lançamento: 2013
Duração: 1h52
O que achei: ★★★☆☆ 

Tenho que começar falando o quanto a Naomi Watts ficou parecida com a Princesa Diana. :O
O filme conta os dois últimos anos de vida da princesa plebéia mais amada que a Inglaterra já teve. Ela já está separada (mas não divorciada de Charles), mora sozinha, briga com o palácio para poder ver mais os filhos… e arma toda uma situação para conseguir finalmente se divorciar do príncipe.
Depois disso, passa a namorar escondida um médico paquistanês Hasnat Khan.Os dois nunca assumiram publicamente o romance porque Hasnat não queria ter que enfrentar toda a exposição que viria com isso. E assim eles passam quase dois anos entre idas e vindas, até que a Diana se irrita e termina de vez o relacionamento.
Só aí ela passa a namorar Dodi Lafayette e, segundo o filme, arma todas as situações possíveis para dar de bandeja para a mídia detalhes e flagras do relacionamento, só para atingir Hasnat.
Sinceramente? Achei o filme beeeeem tendencioso, mostrando todo o lado manipulador da Diana. Será que ela era assim mesmo? Será que realmente armou todo esse circo com a mídia e, assim, causou indiretamente a própria morte? Não sei, mas fiquei morta de vontade de ler uma biografia sobre ela (até falei isso no último vlog).

Unbreakable Kimmy Schmidt


Ano de lançamento: 2015
Episódios: 13
O que achei: ★★★★☆ 

Um maluco sequestra algumas meninas, as aprisiona em um bunker e conta que o mundo acabou e somente elas sobreviveram. Foi assim que Kimmy passou 15 anos presa debaixo da terra, vivendo uma realidade completamente maluca e absurda.
Ao sair do bunker, Kimmy e todas as outras companheiras tem que aprender a viver em um mundo onde MUITA coisa mudou. Para sofrer um baque maior ainda, Kimmy resolve se mudar sozinha para Nova Iorque. Lá vira ajudante de uma família rica, divide um apartamento no subúrbio com um gay amalucado e comete muuuuitas e muitas gafes.
É tudo muito louco o tempo todo, tem várias coisas absurdas… mas é engraçado. Eu não sou lá muito fã da Tina Fey (uma das produtoras executivas da série), mas achei que dessa vez ela acertou na mão. Os episódios tem pouco mais de 20 minutos e passam voando. Esta é uma das séries produzidas pelo Netflix, então quer dizer que todos os episódios das temporadas são disponibilizados de uma vez só. Adoro isso! Pena que a segunda temporada estréia só no ano que vem.

The Poker House


Diretor: Lori Petty e Ray Gower
Ano de lançamento: 2008
Duração: 1h33
O que achei: ★★★★☆ 

Gosto muito da Jennifer Lawrence, ela sempre consegue dar um toque muito pessoal às personagens e escolhe muito bem os filmes dos quais participa. Por isso, quando a vi no poster desse filme já salvei na minha lista. ;)
Jennifer é Agnes, a mais velha de três irmãs, promissora jogadora de basquete escolar aos 16 anos e filha de uma prostituta viciada em cocaína que transforma a casa delas em uma zona com jogos de poker, prostitutas e homens violentos.
Agnes tenta organizar a vida da casa e proteger as irmãs mais novas (uma delas é a gracinha da Chloë Grace Moretz), mas acaba sofrendo assédios e tudo quanto é tipo de abusos, principalmente da mãe e de seu cafetão/namorado. As três meninas vivem uma vida infernal, a do meio até fantasia com o dia em que uma outra família queira adotá-la.
O filme é super pesado, o tempo todo você fica querendo poder fazer alguma coisa para ajudar essas meninas. As atuações estão ótimas, acho que ainda não tinha visto a Selma Blair (que é a mãe das meninas) em um papel tão denso. 

O funeral do nosso melhor amigo


Diretor: Ted Koland
Ano de lançamento: 2012
Duração: 1h29
O que achei: ★★★☆☆ 

Scott e Kristin resolvem fazer um destination wedding e, assim, ficam bem apertados de grana. Lumpy é o padrinho do casamento, melhor amigo de Scott desde a adolescência, beberrão maluco e, claro, Kristin não é fã do cara. É óbvio que no dia do casamento Lumpy tudo que pode e mais um pouco e acaba sendo a vergonha da festa. Scott o manda para o quarto, ele continua a beber por lá, cai da cama, bate a cabeça e sai perambulando pelo hotel. No dia seguinte o encontram morto no meio do mato.
E é aí que a gente começa a conhecer um pouco mais sobre esses três personagens. Scott e Kristin deixam de ir para a lua de mel para organizar um funeral para Lumpy. Acabam descobrindo vários segredos que o amigo vinha guardando e são levados ao extremo do país, para encontrar quem é a tal menina misteriosa com quem Lumpy vinha passando muito tempo.
É assim que eles conhecem Ramsey, uma adolescente inteligente e gente fina que sofre com o abuso de drogas da mãe e do padrasto.
Gosto muito do Justin Long (que interpreta Scott) e como na maioria das vezes os filmes dele são engraçados, assisti. O filme é um misto de comédia e drama, ri e chorei. Gostei bastante.

Uma boa mentira


Diretor: Philippe Falardeau
Ano de lançamento: 2014
Duração: 1h49
O que achei: ★★★★☆ 

Durante a longa II Guerra Civil no Sudão, muitas e muitas crianças ficaram órfãs. Elas andaram milhares de quilômetros até encontrarem um campo de refugiados onde passaram a viver. De tempos em tempos, até 2001, o governo americano escolhia algumas dessas pessoas (que já haviam se tornado adultas) para receberem passagens, vistos e tudo mais para se mudarem para os Estados Unidos e recomeçar a vida com a ajuda de ONGs.
É assim que Mamere, Jeremiah, Paul e Abital (irmã de Mamere e única mulher do grupo) chegam à América. Mamere, Jeremiah e Paul são enviados para o Kansas, enquanto Abital vai para outro estado onde uma família aceitou dar abrigo à ela.
Carrie é funcionária de uma agência de empregos contratada pela ONG que trouxe os sudaneses ao Kansas e recebe a missão de conseguir emprego para os três rapazes. O encontro deles é um choque desde o começo: os rapazes, acostumados à cultura sudanesa, estranham uma mulher sem marido e que se sustenta. Carrie acha super estranho todo o respeito e admiração que os três depositam nela, sempre agradecendo pelos menores gestos.
Claro que Carrie se afeiçoa aos rapazes e tenta trazer Abital para perto deles. Claro também que os caras passam por um período bem tenso de adaptação à nova vida e tem hora que tudo parece que vai desabar.
Confesso que só comecei a assistir o filme por causa da Reese Whiterspoon, mas a história é realmente tocante. Toda a parte sobre como essas crianças fizeram para sobreviver à guerra, sobre as esperanças que tinham e, principalmente, sobre o coração puro que conseguiram manter mesmo depois de passar por tudo isso, é lindo. Chorei rios no final do filme.

Clica aí, colega! #18

links-semana18a

– Eu não podia deixar de linkar aqui esse ótimo post da Ju Romano. É sobre a capa LIIIINDA da Elle Brasil com ela quase pelada e sem Photoshop, é sobre a gente se aceitar e se amar como é, é só a gente parar com essa paranóia idiota com o corpo. É pra aplaudir de pé. ;)
– Já reparou que depois de certa idade as atrizes passam a fazer papéis de mulheres “não comíveis”? Vem cá assistir esse vídeo no Papel Pop e parar para pensar no assunto.
– Vi no Hypeness a história da menina que criou uma calcinha que dispensa o uso de absorventes higiênicos durante o período menstrual. Se fiquei mais do que curiosa para testar isso algum dia? Claro que sim!
– Eu vivo falando que tenho muita vontade de fazer algum curso de atualização ortográfica. É tanta regra nova, tanta regra antiga que não lembro… quero estudar um pouco para melhorar minha escrita. E aí caí nesse infográfico do Viver de Blog com 80 erros gramaticais que muita gente comete e achei sensacional.
– Não sei vocês, mas quase todo dia eu dou uma choradinha na frente do computador ao ver alguma história de bichinhos. A de outro dia foi esse vídeo que a Simone postou, com a ação realizada por uma ONG do interior de SP. Uma graça!

links-semana18b– Chorei de rir com essa lista dos atores que poderiam ser do elenco de uma versão nacional de Game of Thrones. Ficou sensacional!
– Não conhecia esse projeto que o Paulo mostrou e achei bem legal: a ilustradora Simona Bonafini fez imagens do que os personagens Disney postariam no Instagram caso tivessem um. Ficou bem legal.
– Adoro uma livraria e fiquei querendo sair agora mesmo pra conhecer essas 9 lindezas que o pessoal do Follow the Colours mostrou.
– A Fernanda deu dica de 10 coisas para se fazer em Santos e São Vicente. Achei bem legal porque não conheço muita coisa em Santos e nunca pisei em São Vicente.
– No E aí Beleza tem uma lista de 5 cidades que merecem a visita na Suíça e ó: andei muito por duas delas, já passei rapidinho em outras duas e Genebra está na lista de lugares que volto para conhecer. Então sugiro que você leia esse post caso esteja indo para lá. Ah! E pode esperar porque agora só falta eu montar os posts da minha viagem sobre o tempo em que passei nesse país lindo. <3

E olha que legal: a Jade indicou meu post de Dead like me lá no blog dela. Morri de orgulho. :)