séries literárias

Andei lendo: A Terra das Sombras – 1º livro da Coleção A Mediadora | Meg Cabot

Olha, nunca tinha tido curiosidade de ler essa série por causa da capa. Capa feia, com cara de saga Crepúsculo. hahah. Daí só resolvi ler porque tinha uma edição com os dois primeiros livros em um livrinho só dando sopa lá no Trocando Livros e eu tava com crédito sobrando. Também, é livro da Meg Cabot e como ela nunca me decepcionou, resolvi tentar.

O livro ficou meses na fila de leitura e me arrependi de não ter lido antes. Devia ter lido logo no ano passado, quando eu ainda não tinha feito promessa de não comprar livros por um ano. Por que, né? Tô que nem doida lendo o segundo volume e vou ter que esperar até ano que vem pra comprar a coleção completa (sim, essa edição furrequinha com os dois livros vai voltar pro Trocando Livros porque quero a coleção completa bem bonitinha na minha estante).

Então tchô falar da história, né? Suzannah é uma garota de 16 anos que se vê obrigada à mudar para a Califórnia quando sua mãe se casa e vai morar lá com o marido e os três filhos (homens) adolescentes dele. Suze é super urbana (era moradora de Nova Iorque, né?), mas parece bem animada com a mudança. Claro que ela não ser muito popular em NY, não ter muitos amigos por lá e a proximidade da sua nova casa com a praia são coisa que influenciam, né?

O que Suze tem de especial é que ela vê, fala e toca em fantasmas. Basicamente, as almas perdidas que não sabem o que fazer para deixar esse mundo encontram ela de alguma maneira e pedem ajuda. Ela vai, arruma o que tem que arrumar, se mete em um monte de encrencas e despacha o fantasma desse mundo. Taí porque a série tem o nome de A Mediadora.

Aí claro que quando ela se muda pra Califórnia descobre que a casa onde vai morar é super antiga e – que maravilha – tem um fantasma bem gostosão morando no mesmo quarto que ela. Jesse é um cara de uns 20 anos que morreu há uns 150 anos e que ainda vive na casa. Fora ele, Suze descobre que a escola onde estuda está sendo assombrada pelo fantasma de uma aluna super popular que se matou recentemente porque o namorado terminou com ela. Heather (a menina morta que levou o pé na bunda) está tentando matar o ex-namorado para assim viver pra sempre com ele. Com a ajuda de Jesse e do Padre Dom (que também é mediador), Suze se livra dela depois de sofrer um pouquinho na mãe da menina. Não vou contar como acontece, mas ó: adorei a Suze levar tão numa boa as coisas. Hahahha.

Suze é desbocada, alegre, inteligente, engraçada… adorei a personagem, por isso mesmo já emendei no 2º livro. :D

 

Andei lendo: Fallen – 1º livro da série Fallen | Lauren Kate

Agora vou colocar sempre que um livro fizer parte de uma série, qual o “número” dele na saga. Melhor, né? Eu fico perdida, nunca sei até qual livro li nas séries ou a ordem deles. ;)

Ganhei o livro da Mari e adorei. Agora que não tô comprando livros, ganhá-los ficou muuuito mais gostoso. :)

Fallen é mais uma das séries de livros que mostra os “seres especiais” que entraram na moda depois que todo mundo enjoou dos vampiros: anjos. A única outra série com anjos que li foi Sussurro (só o primeiro livro) e gostei muito, então estava bem curiosa para ler a versão de anjos da Lauren Kate.

O livro conta a história de Luce, uma garota de 17 anos que sempre viu sombras que a assustavam e, depois que seu namoradinho no colégio interno onde estudava morre em um incêndio que todos acham que foi causado por ela, vai parar em Sword & Cross, um reformatório que mais parece uma escola/vila abandonada.

Lá ela conhece Cam, o garoto popular e lindo e Daniel, que também é lindo mas não a trata muito bem. Lógico que como é Daniel quem não dá muita bola pra ela, Luce se apaixona por ele e fica se esquivando das investidas de Cam. Com a ajuda de Penn, uma garota certinha que só estuda no reformatório porque seu falecido pai era zelador do lugar, ela investiga a vida de Daniel.

A história mesmo só se desenrola na parte final do livro, quando Luce descobre o que Daniel é e o porquê da atração que ela sente por ele ser tão grande. A explicação não me agrada muito (não tenho muito saco pra essa coisa de amor eterno que dura várias vidas, sabe?) e acho meio comum, mas mesmo assim ainda tem coisas que precisam ser explicadas nos próximos livros.

A narrativa do livro é um pouco lenta, mas gostei. Esse ritmo faz como que você sinta o peso dos dias de Luce e a atmosfera que a envolve. Fiquei curiosa para ler a sequência, chamada Tormenta. Mesmo assim, senti falta de um personagem que se destaque MESMO, tipo o Patch em Sussurro.

E sempre falo mal das capas, né? Para essa, sou toda elogios. A imagem é linda (se bem que se fosse para representar direitinho a Luce, faltam os cachos que o livro tanto fala nos cabelos da moça da foto) e o acabamento impecável. Utilizaram uma laminação diferenciada que dá sensação de toque aveludado/de borracha. Muito legal.

Andei lendo: O vampirto Lestat – 2º livro das Crônicas Vampirescas | Anne Rice

Sabe como eu sou com capa de livro, né? Daí que vi esse cara cabeludo segurando uma guitarra na capa do livro e pensei “WTF esse cara?“. Hahaha. Aí comecei o livro e tudo se explica: Lestat vira um rockstar mega super popular nos anos 80. E aí achei galhofa, mas resolvi continuar lendo porque fiquei curiosa pra saber como aquele vampiro malvado que era amigo do Louis virava isso.

Depois dessa introdução onde o Lestat conta que reviveu (lembra que o Louis e a Claudia meiqui tinham dado um fim nele?), virou rockstar e lançou sua biografia depois que leu a versão da história no Entrevista com o Vampiro que o Louis tinha lançado, ele conta toda sua história.

Foi legal ver como Lestat foi criado, como ele se sentia solitário e, por isso, transformou sua mãe que estava à beira da morte em vampira também. Fora isso, achei Lestat recém vampiro um chaaaato. Tudo era drama, tudo ele choramingava. Dava vontade de dar umas chacoalhadas nele pra ver se virava homem, sabe?

Com o passar do tempo ele fica melhor, mais durão, conhece a origem dos vampiros (demônios uqe invadiram o corpo de um rei e uma rainha que estava morrendo), cria Louis e Claudia, aproveita a vida e sofe horrores com toda a história da “traição” deles.

O final do livro volta aos anos 80, quando ele reencontra Louis e Gabrielle (a mãe que tinha se separado dele uns 10 anos depois de ter sido transformada em vampira) e recebe chamados de ajuda dos vampiros mais antigos.

Falam que o próximo livro, A rainha dos condenados, começa exatamente onde esse livro termina. Pra variar um pouquinho, vou dar um intervalo antes de ler, pra não cansar.