séries literárias

Andei lendo: Feios – 1º livro da série Feios | Scott Westerfeld

Tinha bastante curiosidade sobre essa série, mas ia ficar para o ano que vem. Até que veio a e salvou a pátria me emprestando todos os livros lançados até agora. \o/

Feios se passa em um futuro onde nossa civilização como conhecemos já não existe mais. Por culpa das diferenças que a aparência causava, o abuso dos recursos naturais e o modo de vida nada sustentável que temos agora, a civilização foi totalmente reformulada e agora é muito mais tranquila: ao nascer, você aprende que será feio (ou seja: vai ter uma aparência normal, com defeitos que todo mundo tem) até os 16 anos. Aí passa por uma operação e se torna perfeito (totalmente lindo por fora, com uma personalidade calma e centrada). Os “feios” vivem separados dos perfeitos, que moram em Nova Perfeição.

Tally está contando os dias para completar 16 anos e se juntar à Perry, seu super amigo, em Nova Perfeição. Enquanto amarga dias de solidão, acaba conhecendo Shay, uma menina que não tem lá muita vontade de se tornar perfeita, mas que também está prestes à se tornar perfeita. Shay conta sobre uma “tribo” de pessoas que fogem para não se tornar perfeitas e foge para lá. Tally fica, já que a vontade de ser perfeita é maior do que a vontade de ficar perto da amiga. Aí aparece o grande problema: no dia de sua operação, a questionam sobre Shay e resolvem não fazer sua operação enquanto a menina não aparecer. Tally vai atrás da amiga e aí não vou falar mais nada. Hahahah.

Achei a ambientação da história bem boa, mas os personagens são fracos. Tally é uma chatonilda, Shay é do tipo juventude Che Guevara que dá nos nervos… Demorei mais de semana para terminar o livro porque ficava com raiva da bobeira toda da Tally e parava. Ainda não comecei a ler o próximo volume por isso, estou tirando um tempo para refrescar a cabeça antes de “enfrentar” a Tally de novo. Mas a curiosidade tá grande, então essa semana ainda devo pegar o livro para ler. :)

Andei lendo: A Rainha do Castelo de Ar – 3º livro da Triologia Millenium | Stieg Larsson

Tava morrendo de dó de ler o último livro da trilogia porque, né? O autor morreu, não tem mais nenhum livro pra ser lançado (estou ignorando aquele que a mulher dele diz que estava praticamente pronto e que vai lançar).

Com tudo o que aconteceu com a Lisbeth no segundo volume, não sei por que na minha cabeça ela sairia numa boa, sem ter que responder processo nem nada. Sou doida? A mulher quase morre, é levada pro hospital, quase mata o pai e eu achando que ela ia sair numa boa. Hahahhaa. Enfim, tudo isso pra dizer que esse terceiro livro é inteiro sobre (e durante) o julgamento da baixinha mais zangada que a Suécia já viu.

Bastante coisa é explicada, dá raiva porque as coisas não andam em algumas partes… e mais raiva ainda porque o Michael consegue arranjar amante até no meio dessa mega confusão. Hahaha. Sério, o cara é impossível.

O balanço geral: gostei muito da triologia e quero voltar a lê-la algum dia. Também quero ver a trilogia filmada na Suécia e esperar pela versão de Hollywood, apesar de achar que o Daniel Craig deixa muito a desejar como Michael.

Andei lendo: O Arcano Nove – 2º livro da Coleção A Mediadora | Meg Cabot

Tchô falar: virei fã da Suze. Hahaha. Acho ela muito engraçada e que leva muito numa boa esse negócio de falar com espíritos (oi, tô lôca achando que a menina existe de verdade?).

Esse segundo livro é mais curtinho e um pouco menos envolvente que o primeiro, mas tão divertido quanto. Suze percebe que tá começando a gostar de Jesse (e, né? O cara é um fantasma), arranja um novo pretendente e consegue cair nas mãos de um assassino doido.

No meio disso ainda tem dois espíritos que pedem ajuda à ela: um garotinho querendo salvar seu gato e uma mulher que só chora e pede que ela passe um recado para um tal de Red. No final das contas o Red é alguém que eu nem imaginava que fosse, mas é bem legal.

Li o livro num dia só, agora tô morrendo de curiosidade pra ler o resto. E pelamordedeus, que capa feia é essa? Caramba.