quadrinhos

Suíça – Yverdon Les Bains – Maison d’Ailleurs

No último post sobre a viagem, falei um pouco sobre a cidade e o museu com a história dela, então hoje resolvi falar do meu passeio favorito na cidade, o Museu de Ficção Científica chamado Maison d’Ailleurs.

mason-dailleurs01

Eu tinha lido antes que o museu tinha muita coisa sobre Jules Verne e que era imperdível por isso. Fiquei curiosa, mas vou confessar: nunca li nada do autor. NADA. Sabia que o cara escreveu Vinte Mil Léguas Submarinas e meu conhecimento parava por aí. Tô falando isso por um motivo bem simples: tudo o que vou falar daqui pra frente poderia ser bem diferente caso eu fosse fã do cara.

Ao entrar no museu, passamos pela parte em que estava exposto todo o material sobre Ficção Científica moderna. Quadrinhos, filmes, livros… tudo que foi importante de alguma maneira para o tema. Tem uma parte bem legal onde você pode ouvir trilhas sonoras de filmes, em cabines. A gente passou um bom tempo por lá xeretando tudo.

Isso é papel recortado! :O
Isso é papel recortado! :O

Depois, entramos na área reservada para as exposições temporárias. Demos sorte e pegamos uma bem legal com obras de arte inspiradas em super heróis. A mostra era sensacional, com colagens, pinturas e esculturas. Em uma sala estavam várias estátuas de heróis feridos, com sangue dourado saindo deles. Em outra, havia versões dos heróis quando ainda estavam dentro da barriga da mãe e, sério, achei sensacional. Com certeza essa mostra foi a parte mais divertida de toda a visita.

mason-dailleurs02 mason-dailleurs03 mason-dailleurs04

Depois, passamos para o prédio ao lado por uma passarela e caímos em uma sala bem grande, dedicada ao Jules Verne. Tinha bastante figurino de peças escritas por ele, manuscritos, pôsters de filmes e peças. Também tinha algumas obras de arte e uma parte com maquetes, que estava fechada no dia em que fomos. Sinceramente? Depois de ter me divertido tanto com a parte dos super heróis, achei essa parte bem fraca.

mason-dailleurs07

Sempre rolam essas exposições temporárias e, geralmente, os temas são super legais (na semana seguinte à que eu fui, ia começar uma de Game of Thrones!). Vale a pena conferir no site para ver qual é a do momento. Até janeiro de 2016 é uma de robôs.

Maturidade zero ao ver que tinha uma exposição toda sobre super heróis. Xp
Maturidade zero ao ver que tinha uma exposição toda sobre super heróis. Xp

Mais informações: Site oficial

Andei lendo: Asterios Polyp | David Mazzucchelli

asterios-polyp

Quando li Azul é a cor mais quente, comentei com um amigo que estava querendo ler mais quadrinhos legais e ele, na hora, me disse que eu tinha que ler Asterios Polyp. Não quis me contar muito da história, mas falou que eu realmente precisava ler o livro e que ele tinha certeza de que eu ia amar. Como esse amigo sempre acerta (o gosto musical dele é fantástico, nunca me indicou uma banda da qual eu não gostasse), na mesma hora fui pesquisar o livro. Achei o preço meio salgado (estava quase R$70!), então esperei a Black Friday e comprei. Só que aí eu já estava lendo outras coisas e fui deixando o livro parado na estante…

Asterios Polyp é um arquiteto cinquentão, cheio de si. Ele dá aulas em uma faculdade, é um arquiteto famoso entre seus colegas e, ainda assim, nunca viu algum de seus projetos sair do papel. Asterios é arrogante pra caramba, mulherengo e realmente bem escroto em vários momentos. Ainda assim, consegue conhecer uma mulher gente fina que se apaixona por ele e com quem se casa.

O livro começa com o incêndio do apartamento de Asterios, de onde ele foge apenas com a roupa do corpo e alguns pertences. Isso dá um estalo na cabeça dele e o faz pegar o primeiro ônibus na rodoviária, sem destino. Ele chega à uma cidadezinha do interior, arranja um emprego em uma oficina mecânica e passa a morar com a família de seu patrão. Toda a história é contada por Ignácio, o irmão gêmeo de Asterios que morreu ao nascer.

asterios-polyp2

A cada pedaço da história atual, temos um vislumbre do que aconteceu com Asterios no passado. Isso é muito legal no livro, as partes são visualmente bem diferentes (o passado é todo em tons de rosa, roxo e azul e a atualidade é toda em roso, azul e amarelo). Como Asterios é arquiteto, o livro todo tem ilustrações muito bonitas, algumas partes bem geométricas e até abstratas. É realmente um livro bem bonito de se ver.

Já a história não me cativou, até quase o final do livro. Não consegui gostar nem um pouco de Asterios, então não me apeguei a ele. Foi até um pouco difícil terminar a leitura, para falar a verdade. Deixei parado mais de semana na mesa da sala até ter coragem de continuar. E aí, bem no finalzinho, estava bem curiosa para saber o que aconteceria e não larguei mais.

A história é cheia de mensagens mais profundas, algumas que levam à reflexões. O que nossas ações e palavras podem fazer com a vida de outras pessoas? O que a gente realmente é, debaixo do que achamos que somos? Qual a importância do que os outros pensam sobre nós e o quanto deixamos que isso comande nossa vida?

Não é um livro que eu leria de novo, mas até que gostei da leitura. Não daria uma nota 7, mas também não ficaria abaixo de 5.

asterios-polyp3

David Mazzucchelli, o autor do livro, foi um dos artistas por trás da grande revolução dos quadrinhos no final da década de 80, trabalhando em séries do Demolidor e do Batman. Vendo esse livro, eu nunca imaginaria isso. É uma história e ilustração muito distante do universo dos heróis, achei sensacional a versatilidade do artista.

Preço: R$42,90 no Submarino

Este livro me ajudou a cumprir os itens 17 e 40 do 2015 Reading Challenge.

Andei lendo: Independência ou Mortos | Abu Fobyia

independenciaoumortos

Queria ler esse HQ desde o lançamento e sempre deixava para comprar depois. Aí veio a linda Black Friday da Nerdstore, o livro ficou com o menor preço que tinha visto até então e não resisti. ;)

A história toda começa com a vinda da família real portuguesa para o Brasil, quando D. João VI precisou fugir de Lisboa para escapar do exército de Napoleão. Eles teriam longos meses no mar até chegar aqui, mas uma infestação zumbi tomou conta do navio e, por sorte, eles conseguiram fugir para um navio inglês que os escoltava. O personagem principal é D. Pedro I, que começa o livro ainda criança e termina declarando a independência do nosso país em meio à luta contra os zumbis.

Achei a história divertida, é legal ver como eles conseguiram juntar personagens e acontecimentos reais com uma infestação zumbi. Eu sei que tem um monte de livros de clássicos misturados à zumbis e outras criaturas, mas nunca li nenhum deles.

A ilustração é super bem feita, o livro é muito bem-feito (capa-dura e tudo!) e os diálogos tem piadinhas a todo instante. É uma história em quadrinhos gostosa de ler, para rir um pouco de personagens históricos inseridos em um mundo completamente fantasioso.

Preço: R$29,90 na Nerdstore

Este livro me ajudou a cumprir o item 24 do 2015 Reading Challenge.