passeios

Berlim – Holocaust-Mahnmal e Topographie des Terrors

Holocaust-Mahnmal

Holocaust-Mahnmal01Este é o Memorial do Holocausto, em homenagem aos milharesde judeus que foram mortos durante a II Guerra Mundial. Fica em uma grande praça no centro da cidade, a entrada é grátis e parece um grande labirinto, feito por blocos de concreto.

O chão é todo desnivelado, as colunas tem alturas diferentes e a sensação que dá ao andar por entre elas é de que a gente nunca sabe o que ou quem nos aguarda depois do próximo passo. Li que foi exatamente essa sensação que o arquiteto que o projetou queria dar. E olha, ele conseguiu. Andar por ali é gostoso, dá para subir em algumas colunas para observar tudo (desde que nenhum guarda veja, hahaha) e pensando nas pessoas a quem o Memorial presta homenagem dá para se imaginar também em um grande cemitério cheio de lápides.

Quando fomos, por ser Verão, tinha muita gente andando por lá, muitas crianças que tinham saído da escola e estavam brincando de pular de uma coluna para a outra. O clima era bem alegre, apesar do peso histórico que todo o lugar representa. Gostei muito, pra mim é um dos lugares mais memoráveis da cidade.

Holocaust-Mahnmal04
Tá vendo o desnível do chão? O prédio lá no mundo tá reto, mas o caminho até lá já é outra história.

Holocaust-Mahnmal03Holocaust-Mahnmal05

Mais informações: Site oficial

Topographie des Terrors

"Quando você vê esse sinal" - avisando o povo ariano sobre o sinal que os judeus eram obrigados a usar na roupa.
“Quando você vê esse sinal” – avisando o povo ariano sobre o sinal que os judeus eram obrigados a usar na roupa.

Um trecho conservado do Muro de Berlim, um grande terreno com alguns pedaços do antigo prédio que  existia ali na época da II Guerra Mundial e um prédio novinho em folha com muita informação sobre como o Serviço Secreto Nazista (a famosa Gestapo) funcionava. Essa é a Topograhie des Terrors.

O prédio servia como quartel general da Gestapo e ficava em uma região onde vários outros prédios importantes para o governo de Hitler estavam. Dentro do prédio tem uma maquete que mostra onde cada um desses outros prédios e ficavam e o que funcionava neles.

Hoje o prédio já não existe mais, apenas alguns pedaços das paredes subterrâneas (que servem de fundo para essas fotos com cartazes aqui no post). Foi destruído na época da II Guerra, já que era um ponto importantíssimo para o governo nazista e sofreu vários bombardeios. Era ali que a cúpula nazista se encontrava e dali que saíam as ideias malucas dele, inclusive o planejamento dos campos de concentração criados por eles.

Ao longo das ruínas fica uma exposição focada na publicidade nazista, com vários cartazes, informações sobre o alto escalão dos militares e fotos e notícias de jornal mostrando o que realmente acontecia ou era noticiado na época. Dentro do prédio há fotos, nomes e documentos sobre o funcionamento e os funcionários da Gestapo. Achei muito legal isso, o nome de todos que compactuaram com as ideias malucas de Hitler estão lá impressos, para nunca serem esquecidos. Fiquei imaginando o que deve sentir o neto ou bisneto de algum desses caras que fizeram parte dessa história tão horrível, ao ver o nome de seu parente impresso ali. Não deve ser uma sensação boa, né?

A entrada é gratuita, as informações são muito interessantes e foi o lugar onde mais aprendi sobre a II Guerra enquanto estava em Berlim. Claro que a visita à Sachsenhausen também foi super rica em informações, mas ver e estar onde imaginaram todos esses absurdos, ler as matérias de jornais, ver fotos dos caras que trabalharam nisso fez com que a ficha de que era gente como a gente que punha tudo isso em prática caísse de verdade. É um lugar que mostra e lembra tudo o que aconteceu, para que a gente não repita os mesmos erros nunca mais.

O trecho do Muro preservado em frente ao prédio.
O trecho do Muro preservado em frente ao prédio.
E os trechos de paredes do prédio original com a exposição de cartazes e fotos.
E os trechos de paredes do prédio original com a exposição de cartazes e fotos.
Topographie05
Foto de soldados na época em que a Alemanha já tinha sido derrotada e o Muro de Berlim estava começando a existir.

Topographie04

Mais informações: Site oficial

Berlim – giro pela região do Parlamento

Ai, Berlim. Desde que voltei não tem uma semana em que eu não pense que é lá onde eu queria estar. Hahaha. A cidade roubou meu coração, deixei tanta coisa por ver, tanta foto pra tirar… com certeza volto pra lá, pelo menos, mais uma ou duas vezes. <3

Chegamos bem cedinho na cidade e saímos para ver alguns monumentos e lugares mais clássicos da cidade. Nessa lista entraria a Alexander Platz, mas eu não tirei foto alguma de lá. E também nem teria muito o que falar, é uma praça grande com muitas lojas, restaurantes e a torre de TV. Íamos para lá quase todos os dias, mas eu sempre deixava para fotografar depois e aí virou um lugar comum na viagem e acabei não fotografando nada. Ooops!

Visitamos esses quatro monumentos indo à pé de um ao outro. Eles são perto, no caminho você pode andar por uma das avenidas mais famosas da cidade, a 17 Juni (o dia do meu aniversário e data importante para os trabalhadores alemães) ou por dentro do Tiergarten (o maior parque da cidade). É um passeio bem gostoso.

Portão de Brandemburgo

portao-brandenburgo

Sempre achei que o Portão fosse isolado, mais ou menos como o Arco do Triunfo, mas não é. Ele fica em um canteiro rodeado por outros prédios, bem junto ao que tem em volta dele. É lindo e foi eleita minha construção favorita em toda a cidade. Hehehe. Queria ter comprado um pingente pra minha pulseira com ele, bobeei e depois não encontrei mais. :(

Construído em 1791, o Portão era usado como entrada para a cidade e dava ao rei um acesso direto ao Tiergarten (que era o jardim do rei, existe até hoje e eu não entrei. Hahha). Foi bastante danificado na época da II Guerra Mundial e reconstruído depois. Também serviu como divisão entre a parte Oriental e Ocidental da cidade, na época do Muro de Berlim.

Como fomos bem na época de Copa do Mundo, estava rolando atrás do Portão a FIFA Fan Fest da cidade. As ruas eram fechadas no horário dos jogos, tinha um monte de barraquinha de comida e bebida e até roda gigante. Logo atrás do Portão ficava o palco do evento, que é toda essa estrutura metálica atrás dele na foto aí de cima. Assistimos um jogo do Brasil por lá, foi bem legal.

portao-brandenburgo2

Endereço: Pariser Platz – Mitte , 10117 – Berlim

Reichstag

Reichstag01

O Parlamento alemão é aberto à visitação e dizem que a vista do alto do domo de vidro é linda. Para conseguir entrar você tem que agendar horário antes, pela internet, de preferência com algumas semanas de antecedência. Há também a possibilidade de ficar na fila nos guichês em frente ao prédio e tentar alguma vaga, mas elas são enormes e geralmente as vagas acabam super rápido. A visita é grátis e tem até áudio guia em português.

Eu agendei nossa visita com quase um mês de antecedência, imprimi o comprovante com data e horário, cheguei meia hora antes… e me dei mal porque resolveram fazer uma sessão privada justo no dia e horário em que eu tinha agendado a visita e ninguém podia entrar no prédio. Que saco, fiquei doida da vida. Aí já não tinham mais vagas, tivemos que deixar para subir no Domo em uma próxima vez. Tá vendo como eu tenho que voltar pra essa cidade? Hehehe.

Reichstag02

Para agendar sua visita: Site oficial
Endereço: Platz der Republik 1 – Tiergarten, 11011 – Berlim

Memorial de Guerra Soviético

Sowjetisches

Indo do Parlamento ao Siegessaule, passamos em frente à esse monumento e entramos para dar uma olhada. Uma grande “praça”, com colunas de mármore e granito, nomes e palavras em russo gravadas, uma estátua de soldado, dois sarcófagos e canhões usados em batalha “estacionados” nos cantos. A sensação é de ser um mausoléu à céu aberto. Talvez fosse essa a intenção, já que o memorial foi construído para homenagear os soldados soviéticos que morreram lutando na Segunda Guerra, poucos meses depois do fim da mesma.

Dizem que as pedras usadas na construção do memorial foram retiradas da casa de Hitler, após sua derrota. Será?

Endereço: Strasse des 17. Juni – Tiergarten, 10623 – Berlim

Siegessaule

Siegessaule01

Também conhecida como Coluna da Vitória, o monumento é uma homenagem às conquistas do Império Alemão em várias guerras. No topo, a escultura de bronze representa a deusa romana Vitória. Dentro da torre existe um museu, mas quando fomos estava quase fechando e não entramos porque teríamos que ver tudo correndo.

Por fora você pode saber um pouco mais da história do monumento através de algumas placas explicativas, que ficam nas entradas dos túneis para se chegar até ele (no centro de um grande cruzamento, com cinco ruas). Chegando perto também dá para ver algumas marcas de destruição, da época da Segunda Guerra. O monumento não sofreu muito, mas as marcas continuam lá.

Siegessaule02

Endereço: Großer Stern, 10557 – Berlin