filmes

366 Nuncas: #001 a #007

Ano passado me diverti MUITO fazendo pelo menos uma foto por dia e alguns meses antes de terminar o Project365 já estava com dó de parar o projeto quando chegasse o final do ano. Seria legal continuar o projeto por mais um ano, mas resolvi mudar um pouco. Pensei em algumas opções (que não vou contar porque ficarão aqui “na manga”. Quem sabe uso para os próximos anos?) e resolvi me impor um desafio esse ano.

Tinha visto a Nicas fazendo o 52 Nuncas e achei muito legal. Aí veio a minha nova lista de 101 coisas em 1001 dias e veio a ideia: que tal fotografar algo que nunca tinha acontecido antes na minha vida, todo dia, pelos próximos 366 dias (já que esse ano é bissexto). Vai ser puxado? Vai. Vai ter muita bobeira do tipo “nunca tinha comido tal coisa” ou “nunca tinha lido tal livro”? Vai. Mas vai ser gostoso. Essa primeira semana foi bem legal, todo dia eu pensava em algo novo e já até sei algumas coisas para essa semana. Também percebi que teve dia que tive mais de uma só coisa que nunca tinha feito/visto. É legal, porque nunca tinha pensado nisso antes. Quantas coisas novas fazemos por ano? Eu vou fazer, no mínimo, 366. O melhor de tudo: isso vai fazer com que eu complete mais fácil os 101 objetivos que listei. Tem muita coisa ali que eu já poderia ter feito faz tempo mas nunca fiz por pura preguiça. Agora que sou “obrigada” a fotografar uma coisa nova todo dia, vou ter que me esforçar mais.

Agora é torcer pra eu realmente completar o projeto, né? Tô empolgada, acho que vou conseguir sim. E se prepararem para muitos “nuncas” bem bobos, porque já sei que eles serão a maioria. :)

#001 – 01/01/2012

No Réveillon alguns amigos de Santo André foram lá para casa e dormiram por lá (assim ninguém dirigia depois de beber, né?). Eu nunca tinha recebido ninguém pra dormir lá no apê.

.

#002 – 02/01/2012

Estou fazendo os exames pré operatórios e alguns outros que a endocrinologista pediu. Nunca tinha buscado tanto resultado de exames de uma vez só.

.

#003 – 03/01/2012

Nunca tinha comprado um short redutor de celulite. Claro que duvido MUITO que funcione e como não uso sempre, vai ser mais difícil ainda. Mas sempre quis testar.

.

#004 – 04/01/2012

Nunca tive tanto sapato jogado no meio da sala. Vergonhoso.

.

#005 – 05/01/2012

Nunca tinha assistido “Os Normais 2″. Sou fã do Rui e da Vani.

.

#006 – 06/01/2012

Nunca tinha comprado um macaquinho para natação. Também nunca tinha feito uma compra na Centauro Online. Agora é só começar a nadar lá no prédio. Dessa semana não passa!

.

#007 – 07/01/2012

Adoro dia de visita em casa! Dessa vez, foi uma amiga de infância MUITO querida, o marido e o Samuca, que ainda tá na barriga dela. Nunca tinha recebido a Dani no apartamento. <3

E um plus: nunca tinha visto meu cachorro tosado. Minha mãe teve que tosar porque ele vai ser castrado amanhão. Ficou tão lindo! :)

O que achei de Harry Potter 7 (Parte 1)

Assisti ao filme ontem e corro o sério risco de parece uma fã doidamaluca falando o que achei dele. Eu devia deixar pra escrever depois que assistir o filme de novo, hoje à noite, mas não me aguento. Tenho que falaaaaaaar!

Pra não estragar a surpresa de ninguém, o que achei do filme só aparece quando você clicar em “Ver mais”, blz?

 

Atuação, figurino, efeitos, cor e todos os aspectos técnicos estão impecáveis, como sempre. O vestido de casamento da Fleur é lindo, Hermione e Gina também ficaram super bonitas em seus vestidos de festa, os cenários estão perfeitos… nesse ponto, não tem como fazer nenhuma crítica ao filme.

Mas daí vem as surpresas, com as pequenas mudanças que fizeram. Claro que para adaptar um livro que tem tantos detalhes, alguns seriam perdidos. Claro que personagens que não são tão significativos tem que ser cortados, cenas mais lentas tem que ser melhoras e etc. Mas o negócio foi que algumas coisas que faziam sentido foram cortadas e taí o problema. Fora que cenas bem legais de ação foram um pouco modificadas (Cadê o teto desabando na casa do Sr. Lovegood? Cadê Voldemort aparecendo em Godric’s Hollow?) e acho que perderam um tanto da emocão.

Desde que li a parte em que o Rony destrói a horcrux e que o Harry explica pra ele que a Hermione é como se fosse uma irmã para ele, fiquei doida para ver isso filmado. Mas uh-oh, essa cena não existe. Rony vê Harry e Hermione pelados nas imagens que a horcrux mostra pra ele e depois o Harry não explica nada. Fora que inseriram uma cena que Harry tira Hermione pra dançar e olha só, meiqui fica parecendo que ele tem uma quedinha pela amiga. Como assim? :O

Também senti falta do Harry pegando o olho do Olho Tonto da porta da Umbridge. Cadê o sentimento de vingança, pô?

Nem todas as mudanças foram ruins: Doby ganhou espaço na trama (apareceu antes do que aparece no livro), os alívios cômicos são frequentes e muito bem colocados, a cena dos Comensais no Expresso Hogwarts ficou ótima (vai, Neville!). As cenas do começo, mostrando como Hermione se livrou dos seus pais são bem legais, já que no livro ela só cita isso.

No geral, o filme não é ruim, é bem bom (mas não ganhou o lugar de melhor no meu ranking, esse ainda é para o quinto filme). Acho que por eu ter relido o livro há 15 dias, ainda estava com tudo muito fresco na memória e me frustei um pouco com essas mudanças. Mesmo assim estou louca para ver a parte final, com a batalha em Hogwarts.

Minhas cenas favoritas: a volta do Rony (ficou perfeita, Hermione partindo puta da vida pra cima dele), a morte do Doby (embora tenha achado o enterro zuadinho, a cena em que ele morre levou todo mundo às lágrimas) e a cena em que a Caridade é assassinada pelo Voldemort, na frente do Snape.

Pior cena: Harry tirando Hermione pra dançar (a cena é legal e divertida, mas vamos concordar que ele nunca faria isso). Só tiraria essa do filme porque as outras, mesmo mudando um pouco o livro, são boas e fazem parte do contexto.

E quem já assistiu, o que achou?

Andei lendo: Amanhecer – 4º livro da série Crepúsculo | Stephenie Meyer

Antes de qualquer coisa, tenho que avisar que este é um post cheio de spoilers e com uma visão totalmente pessoal sobre o livro. Não quero ver fã incondicional reclamando do que eu falei, tá?

600--capa_amanhecer300dpi

Se você quer ler o que achei do último volume da série, clica em “Ver mais”.

 

Não sei se já falei por aqui, mas vivo uma relação de amor e ódio com a série Crespúsculo: acho a história bem bolada, mas bem mal escrita. Acho a Bella chata, dramática e fraca. Gosto do Edward, mas acho todo esse drama te-amo-morro-sem-você meio histórinha de livro de banca da jornal, sabe?

Mesmo assim, não consegui largar nenhum dos quatro volumes enquanto não terminei de ler, fiquei super anciosa pelo lançamento de Eclipse, fiquei doida quando soube que ia ter que esperar 6 meses pra ler o final da história.. até que minha irmã leu, me contou o que acontecia e passou minha curiosidade. Daí quando o livro foi lançado em junho, comprei e só li agora, isso porque fiquei curiosa com o número enorme de pessoas lendo esse livro no mesmo ônibus que eu, se não teria deixado pra depois.

Isso explicado, posso falar só sobre Amanhecer, né?

O livro é dividido em três partes, bem distintas.

O livro começa sendo contado por Bella, até ela engravidar. Nessa parte tem muito blá blá blá sentimentalóide que é o que odeio na Bella: tudo ela acha que faz errado, é insegura pra tudo… grrr, quero dar uns tabefes na cabeça dessa menina pra ver se pega no tranco.

A segunda parte é contada pelo Jacob e aí me surpreendi: engraçado, leve, moleque… nunca fui muito chegada ao Jacob, mas dessa vez tive que dar o braço a torcer e dizer que ele por ele mesmo é muito melhor do que pelos olhos da Bella. Ele narra a partir da volta da Bella para Forks até o parto da Renesmée. Me diverti com a narração dele para alguns acontecimentos, morri de dó quando ele sofre pela Bela e fiquei torcendo pra que tudo desse certo pra ele no fim.

A terceira parte volta a ser narrada pela Bella, mas aí ela está totalmente diferente: depois de ser transformada em vampira (quando está quase morrendo durante o parto de sua filha), ela fica mais confiante, feliz e com um humor mais sarcástico. A narrativa dela para o novo mundo que vê com os olhos de vampira é super detalhada, gostei bastante. Além disso, ela deixa de lado esse negócio de amor hiper dramático e encara o amor pelo Edward de uma forma um pouco mais adulta.

O livro não tem lutas (como a que eu adorei em Eclipse), mas tem um grande embate, que acaba sendo bem interessante.

Fora isso, fico de cara com os nomes bregas que as autoras escolhem para os filhos dos personagens. Primeiro foi J.K. Rowling que nos brindou com os péssimos James Sirius, Lilian Luna e Alvo Severo, filhos de Harry Potter com a Gina Weasley. Dessa vez foi a Stephanie, que batizou a filha de Edward e Bella de Renesmée Carlie, uma super mistura de Renée, Esme, Charlie e Carlisle, os pais do casal. Brega? Imagiiina.

Não posso deixar de dizer que fiquei impressionada com a quantidade de cenas que remetem ao sexo. Se passarem tudo isso pra versão cinematográfica, certeza de que vai ser um pornô de primeira. hahah. Lógico que todo mundo tava querendo ver a Bella e o Edward chegarem aos finalmentes de uma vez por todas, mas né? Depois que ela vira vampira quase tudo que ela pensa se relaciona ao sexo. Achei meio exagerado, tem certas coisas que não precisam ser tão citadas pra gente saber que estão lá.

No geral achei que foi um fim digno para a série, mas tenho certeza absoluta que mais dia menos dia vem alguma “sobra” dessa história. Talvez a autora termine os livros na visão do Edward, talvez comece uma nova série com Renesmée como personagem principal… quem sabe?

Pra terminar, eu tinha que mostrar pra vocês essa imagem que a Dani me mandou:

ed_harry

Vai dizer que você não riu? Hahahhaha