disney

Clica aí, colega! #21

Já falei que gosto muito do Jesse Eisenberg? Sempre que sai um filme novo dele, fico querendo assistir. Aí vi esse post do Brainstorm9, sobre como os fãs terem reclamado da tradução do nome do novo filme dele funcionou (a Paris Filmes alterou!), assisti o trailer e tô aqui doida pra ver logo American Ultra. Parece ser bem engraçado.

links-semana-21a

– Depois de 1 ano e meio na vida de freelancer, posso dizer: se você tem vontade de trabalhar em home office, FAÇA! Aqui no Follow the colours tem dicas ótimas de como fazer isso.
– Não tenho cachorro e, exatamente por isso, evito dar minha opinião sobre a alimentação do cachorro alheio, mas concordo muito com esse post do Hypeness: se devemos comer comida natural, por que nosso pet só se alimenta de comida industrializada? Já tive dois cachorros e, para os dois, a ração era só um petisco, algo que comiam quando estava com fome no meio da tarde e não tinha mais nada pronto. Minha mãe cozinhava arroz e carne para eles sempre, dava frutas e alguns legumes. Um viveu 18 anos e o outro, completa 18 anos esse ano. Claro que um cachorro de 18 anos já tem alguns problemas de saúde, mas os dois viveram, pelo menos, 16 anos super bem.
– A Amanda tem um dos meus blogs favoritos (acompanho há muitos anos e soooofro quando ela fica muito tempo sem escrever) e fez um texto bem legal sobre aquela sensação que todo mundo tem ao olhar a vida do coleguinha nas redes sociais, de que todo mundo tem uma vida mais legal do que a nossa. Será que é assim mesmo?
– Qual a importância de uma banda na vida de um fã? Esse cara que, 15 anos depois, enviou um cheque ressarcindo sua banda favorita por ter vendido cópias piratas do disco deles, mostra que tem muita importância. A notícia é do Tenho Mais Discos que Amigos.
– Acompanho o projeto #100lovesongs, da Renata, pelo Instagram e adorei ver a explicação dela para como e porque o projeto foi iniciado. Acho lindas as artes dela!

links-semana-21b

Sutiã sempre foi um problema pra mim e demorei anos até descobrir o tamanho do meu! Esse guia da Ju Romano está ótimo.
Vestidos de casamento + Disney = um ensaio fooooofo, com as modelos com a maior cara de princesas. Achei uma graça esse ensaio, postado pela Lia.
– O inverno está no fim (por aqui, parece que já é verão. QUE HORROOOOOR!), mas visitar Campos do Jordão não precisa ser só nessa estação, né? A Nana foi para lá e deu dicas de passeios diferentes, vários que eu nunca fiz. Fiquei querendo voltar à cidade para conhecer o Museu Felícia Leiner.
Belo Horizonte sempre esteve na minha lista de cidades-desejo aqui no país e, depois de ler esse post da Rê Biscoito, preciso ir pra lá o quanto antes. Quem sabe não me animo com alguma promoção de passagens, né?
– Outro lugar que eu sempre quis conhecer é o Rio Grande do Sul. Amo o sotaque, toda foto que vejo das cidades me encanta.. e esse post da Julia lá no E aí, beleza? me fez babar. O que são essas ruínas em São Miguel das Missões? :O

52 objetos: #20

52objetos-20-saleitomickey

O quê: Conjunto de saleiro e pimenteiro Mickey e Minnie noivinhos
Por quê: Representa uma coleção que já tenho e outra que quero começar
Onde está: Na embalagem original, dentro do armário
De onde veio: Da Disney, presente da Lec

Não lembro de já ter falado disso por aqui, mas tenho uma mini coleção de conjuntos de saleiro e pimenteiro. Não uso realmente nenhum, mas fui comprando e ganhando ao longo do tempo e virou uma coleção. Uso todos para decorar a cozinha daqui de casa.

Outra coleção que sempre falo que quero fazer é a de noivinhos de topo de bolo e nunca começo, porque achava que tinha que ganhar a primeira peça da coleção. E aí veio a Lec e me deu um presente dois em um: mais um conjunto para a coleção de saleiro e pimenteiro e o primeiro casal da coleção de noivinhos. Fala se ela não é uma linda?

Esse conjunto é lindo demais, super delicado. Por isso ele continua na embalagem original, guardado dentro do armário. Morro de medo de colocar na cozinha e a faxinei ou eu mesma quebrar e ainda não fiz uma prateleira bonitinha no meu escritório para deixar à mostra sem tanto perigo. Uma das certezas que tenho é que quando eu casar, eles estarão na decoração da festa, de alguma maneira. São lindos demais para não serem exibidos por aí. ;)

Por enquanto as duas coleções andam meio paradinhas (assim como tantas outras que tenho), por puro desleixo. Mas quero aumentar a de noivinhos logo logo, acho lindo!

O que é o projeto 52 objetos?
Em muitos anos no futuro alguém encontra uma caixa cheia de coisas que você possuiu e tenta descobrir que tipo de pessoa você era. Talvez essa caixa tenha fotografias, livros, documentos pessoais, roupas, talheres, bilhetes de shows ou até um pacote de chiclete. O que esses objetos diriam sobre você? Eles mostrariam um retrato fiel da sua vida? Qual história eles diriam?

A ideia original veio daqui e essa tradução da explicação é da Ana Paula. Você pode ver todos os outros objetos que escolhi aqui.

52 objetos: #16

relogio-mickey-disney

O quê: Relógio do Mickey
Por quê: Me lembra um sonho realizado
Onde está: Na caixinha de relógios no meu quarto
De onde veio: Disneyland Paris

Nunca fui muuuito fã dos personagens da Disney. Eu gostava, mas não era aquela loucura, sabe? Cresci em uma época em que as Princesas não estavam na moda, então não tive minha fase de ficar saindo por aí fantasiada como elas. Gostava muito do Mickey e do Pato Donald, mas nada demais. Meu favorito sempre foi o Pateta, mas não era uma coisa que me fizesse sonhar em ir para a Disney.

Aí, quando eu tinha uns 11 anos comecei a ler Capricho. E, lendo todas, era normal ler matérias sobre os parques Disney em Orlando, já que a revista faz guias sobre eles desde sempre. E aí a vontade veio. Sempre gostei de parques de diversão (Saudades, Playcenter) e imaginar uma viagem em que eu passaria vários dias conhecendo parques fantásticos me conquistou. Mas tinha um porém: 1 – NUNCA que minha mãe me deixaria ir para lá sozinha e 2 – Quem tinha o dinheiro para isso? E, por isso, nunca cheguei nem a pedir para ela pagar por essa viagem. Hahaha.

Fui crescendo e a vontade de conhecer um parque Disney cresceu junto. Quando pensamos em viajar no ano passado, claro que Orlando foi o primeiro lugar em que pensei. Mas aí pensei melhor e resolvi que preferia conhecer um pouco do Velho Mundo antes. E lá tem parque Disney, então eu podia matar a vontade também. E matei.

Sempre vi muita gente mostrando milhares de coisas fofas que trouxeram dos parques e tinha muito medo de despirocar nas compras por lá. Haha. Por isso, saí do Brasil pensando que poderia comprar apenas uma coisa para mim enquanto estivesse lá. A grana estava meio curta, então não poderia ser nada muito caro. A Ju sabia do aperto, então resolveu me dar dinheiro como presente de aniversário e ó: só por isso comprei esse relógio.

Desde que li Código da Vinci fiquei doida por um relógio do Mickey igual ao do Langdon. Hahah. Besteira, né? Mas fiquei mesmo. Era só nele que eu pensava quando entrava nas lojinhas na Disney. E aí encontrei e ele era só um tico mais caro do que a grana que a Ju me deu, então comprei. Acabou sendo um presente de aniversário de uma pessoa super querida e que ainda me faz lembrar de quando coloquei os pés pela primeira vez em um parque que sempre achei tão distante de mim. Toda vez que coloco ele no pulso lembro daquele dia e da Ju e dou um sorriso. Tá bom assim, né? <3

O que é o projeto 52 objetos?
Em muitos anos no futuro alguém encontra uma caixa cheia de coisas que você possuiu e tenta descobrir que tipo de pessoa você era. Talvez essa caixa tenha fotografias, livros, documentos pessoais, roupas, talheres, bilhetes de shows ou até um pacote de chiclete. O que esses objetos diriam sobre você? Eles mostrariam um retrato fiel da sua vida? Qual história eles diriam?

A ideia original veio daqui e essa tradução da explicação é da Ana Paula. Você pode ver todos os outros objetos que escolhi aqui.