compras

Buenos Aires – Recoleta e o Cemitério

Andamos bastante pelo bairro e foi uma delícia. O bairro é mais “chique”, cheio de prédios lindos, passeadores de cachorro cheeeeeios deles, muitas lojas, hotéis mais caros… vale muito o passeio à pé.

buenos-recoleta0

buenos-reco2

buenos-reco3

El Sanjuanino

Tinha lido em algum lugar que este era o restaurante com as empanadas mais tradicionais da cidade e, como a gente ficou viciado no negócio, fomos lá conferir. Valeu a caminhada, as empanadas são deliciosas! Comi de carne apimentada e a de cebola com queijo (o melhor sabor de empanada EVER!). As duas estavam muito gostosas.

O restaurante é bem cheio de turistas, com uma decoração bem pesada (o andar debaixo, onde comi, tem cabeças de animais empalhadas e tudo) e o atendimento é bom. O preço é bem justo.

buenos-juanino

buenos-juanino2

buenos-juanino3

Buenos Aires Design

Passei também pelo shoppingzinho porque tinha lido muito bem sobre ele. Tem uma loja enorme da Morph, que pode ser legal para quem ainda não conhece. Como tem loja da rede no shopping do lado de onde trabalho, não achei nada muito diferente do que já tinha visto por aqui.

Nas lojas de móveis tem muita coisa linda, mas né? Nada de trazer móvel no avião. Andamos pouco por lá, realmente não estávamos no pique de fazer compras.

buenos-design

Cementerio de La Recoleta

Era outra coisa que eu morria de vontade de conhecer, enchi o saco do Henrique falando tanto sobre o cemitério. Hahaha. Adorei o lugar, tem túmulos lindos e maravilhosos. Mas esqueci de uma coisa: minha fobia por estátuas. Não consegui andar muito longe do Henrique, quando tentei quase tive um treco. Hahaha. Ridículo, eu sei.

Antes de ir li esse post e adorei reconhecer túmulos falados nele. Pena que esqueci da história do coveiro, queria muito ter procurado pelo dele também.

Na entrada compramos um mapinha do cemitério por 10 pesos, para ajudar na manutenção dele. O mapinha ajudou a encontrar o túmulo da Evita, o cemitério estava meio vazio, não ia dar para reconhecer de longe qual era.

buenos-cementerio1

buenos-cementerio2

buenos-cementerio3

buenos-cementerio4

buenos-cementerio5

buenos-cementerio6

buenos-cementerio7

Buenos Aires – El Ateneo e Galeria Bond Street

Desde que comecei a ler sobre Buenos Aires fiquei MALUCA pra conhecer a El Ateneo. E aí veio a Julia e deu a dica da Bond Street e aproveitei para passear pelas duas. E olha: passeio mais do que recomendado! Tudo lindo, cheio de coisas para fuçar… tanto eu quanto o Henrique adoramos.

buenos-ateneo6

El Ateneo

A livraria fica no prédio de um antigo teatro (que também já foi cinema) e já foi escolhida como uma das mais bonitas do mundo. É bem grandona e realmente é linda. Minhas fotos de lá ficaram ruins e, sinceramente, me preocupei mais em olhar tudo do que ficar fotografando. Paramos para tomar um lanche no café de lá (empanadas boas e Fanta Pomelo geladinha!). O café fica onde antigamente era o palco do teatro, mantiveram até as cortinas. Muito legal.

buenos-ateneo0

buenos-ateneo1

buenos-ateneo2

buenos-ateneo3

buenos-ateneo4

buenos-ateneo5

Galeria Bond Street

Tenho uma confissão a fazer: nunca fui à Galeria do Rock aqui em SP. Pronto, podem me apedrejar. :p

Quando a Julia disse que a Bond Street era tipo uma Galeria do Rock, fiquei bem curiosa para conhecer. A galeria é INTEIRINHA grafitada, a coisa mais linda! Tem bastante loja de música (claro!), tattoo, skate, roupas e até uma lojinha de produtos para o consumo de maconha. Tem muita gente descolada andando por lá, muitos jovens e estudantes. Fui pouco antes do horário de almoço e estava bem vazia. Ficamos bastante tempo olhando as vitrines.

Ela está em reforma, mas nada que atrapalhe o passeio.

buenos-bond1

buenos-bond2

buenos-bond3

buenos-bond4

buenos-bond5

buenos-bond6

buenos-bond7

buenos-bond8

 

Buenos Aires – dois problemas e um super acerto

Acabei de voltar da minha micro viagem e resolvi começar os posts sobre ela falando dos problemas que tive bem no começo dela e que me custaram 1 dia de passeios pela cidade. Também falo do super acerto em contratar o transfer, que acabou sendo um porto seguro no meio das confusões desse começo de viagem.

A Turkish Airlines

Meu vôo estava marcado para sexta-feira (06/09) às 18h30. Estava tudo lindo, embarcamos no horário e nada do avião decolar. Os avisos eram feitos em turco (claro) e em inglês carregadíssimo de sotaque, então os passageiros tinham que ficar juntando o que cada um tinha entendido para saber tudo o que o comandante havia falado. A tripulação também não sabia o que informar, só dizia que estavam fazendo manutenção no avião.

Nisso, se passaram 3 horas. Aí pediram para descermos do avião para trocarem o pneu dele. Esperamos mais uma hora e embarcamos. O comandante avisou que em 15 minutos partiríamos. Esperamos mais uma hora sentados na avião e… cancelaram o vôo porque o problema não era no pneu, era no freio. Até aí, tudo bem. Quem quer viajar em um avião com problemas, né?

buenos-voo-turkish
Nessa hora ninguém podia sair da imigração do aeroporto de Guarulhos porque a companhia aérea não tinha liberada uma lista dos passageiros do vôo.

O terror começou quando descemos definitivamente do avião: a equipe da companhia aérea era totalmente despreparada, não passou nem uma lista com o nome dos passageiros para o pessoal do aeroporto, não sabia o que fazer, não conseguia nem organizar fila. A desorganização era gigantesca, os passageiros ficaram nervosos (com toda a razão, né?) e rolou até barraco. Fiquei até as 4h30 da manhã de pé, mudando de fila para fila, sem comer e sem dormir. Só aí resolveram que eu iria no vôo das 8h50 da manhã (com embarque às 6h e pouco) e me deram um voucher de hotel. Sinceramente? Só daria tempo de ir tomar um banho no hotel e voltar. Recusei e pedi por um voucher de alimentação ali mesmo no aeroporto. Me negaram isso.

O vôo em que encaixaram a gente era da Tam e olha: ô maravilha. Saiu no horário, a tripulação era super gentil… se arrependimento matasse, naquela hora eu estaria dura e gelada.

A volta, também com a Turkish, foi tranquila. O avião saiu no horário, o vôo estava vazio… mas eu pensaria duas vezes antes de voar com eles novamente.

A reserva pelo Submarino Viagens em um hotel que não está construído

Comprei passagens e reservei o hotel pelo Submarino Viagens, porque achei que seria super confiável já que a empresa é grande e super conhecida. Reservei tudo em julho, na semana da viagem liguei e peguei a confirmação. Tudo certo, tudo lindo, as fotos do Palacio San Telmo Boutique eram lindas, tinha review no TripAdvisor, vários outros sites também faziam reserva para ele… estava certa de que seria o máximo.

Logo que o Jorge me buscou no aeroporto ele disse que desconfiava que o hotel não existia. Ele havia tentado ligar para avisar do meu atraso e não tinha conseguido, falou com a rede de hotéis dona do Palacio San Telmo e eles falaram que ele ainda estava em construção. Sendo assim, ele passou com a gente na frente do hotel (e realmente estava em construção ainda) e nos levou para outro hotel da rede, o Unique Art Madero. Lá eles ficaram bobos quando viram minha reserva, estávamos tão cansados que demos até risada do problema junto com eles. Eram 13h, eu estava acordada desde as 9h do dia anterior, doida para dormir… e me acontece isso. A sorte foi que a equipe do hotel foi super atenciosa, procurou a reserva e viu que realmente ela e o pagamento existiam. Me deram um quarto ali mesmo e fomos dormir.

buenos-uniquemadero
O Unique Art Madero é bem bonitinho. O quarto é bem simples, mas bom.

Com esse erro do Submarino Viagens, fiquei em um lugar bem diferente do que havia pensado e programado. A ideia era ficar bem no Centro da cidade para aproveitar mais o metrô e as atrações que estão por ali (era nossa primeira vez na cidade, queríamos fazer todos os programas mais clássicos). O Unique Art Madero fica em Puerto Madero, a uma quadra do porto. É super bem localizado, mas tínhamos que andar um tanto até o metrô. Nada demais, mas foi uma mudança de planos.

Já entrei em contato com a Submarino Viagens por telefone e eles me informaram que eu devia ter falado com eles no sábado (de outro país, onde eu estava sem telefone e sem internet) e que não podem fazer nada. Acabei de abrir uma reclamação no Reclame Aqui contra eles, vamos ver no que vai dar.

O transfer que salvou minha chegada à cidade

O Jorge sempre recepciona seus clientes com Jorgitos. Nham! :9
O Jorge sempre recepciona seus clientes com Jorgitos. Nham! :9

Minha ideia, desde o começo, era viajar para descansar. Queria sossego, zero preocupação.. e por isso resolvi agendar o serviço de transfer entre o aeroporto e o hotel (ida e volta) com a Leva Eu – Transfer Personalizados, que vi sendo indicada em diversos blogs sobre a Argentina.

Desde o começo o Jorge e sua equipe foram super atenciosos e, por isso, resolvi assumir toda a preguiça e comodidade que queria ter e também solicitei os serviços de câmbio deles. A cotação deles era bem boa (peguei $2,65 pesos por cada real), não tive que me preocupar em passar no banco ao chegar ao aeroporto.. uma maravilha.

Como meu problema do vôo, fui atualizando o Jorge por e-mail e ele, super atencioso, se dispôs a ligar para o hotel e avisar sobre meu atraso. Foi assim que ele descobriu sobre o erro do hotel e me avisou logo na chegada. Foi ele também quem pensou em ir até outro hotel da rede para ver o que fazer. Ainda bem, porque estávamos tão cansados da viagem que se tivéssemos ido com um táxi normal, provavelmente teríamos sentado na calçada e chorado. Hahaha.

O Jorge é ótimo, super pontual e prestativo. Fez muito além do que eu esperava, com certeza volto a usar seus serviços a próxima vez que for para a cidade. Super recomendo!

Resumindo: demorei 21h de casa até o meu hotel em Buenos Aires. Cheguei e fui dormir, com o estômago ruim e tudo mais. Só acordamos rapidinho para passear um pouco por perto do hotel e voltamos a dormir, estávamos muito cansados. E assim perdi um dia inteirinho de passeios pela cidade. Ainda bem que no dia seguinte a gente já tinha esquecido os problemas e aproveitamos muuuuito! :D