cinema

Clica aí, colega! #17

Que saudade de mostrar links legais por aqui! :D

links-semana17a

– Sabia que a história da Anne Frank vai virar animação? Depois que vi esse post no Update or Die fiquei doida pra assistir. Quem me mandou o link foi a Lec. :)
– A Debas deu dicas de passeio fora do roteiro turistão de Amsterdam. Deu vontade de voltar à cidade para conhecer tudo o que ela mostrou.
– A Patrícia visitou o Templo Zu Lai, um lugar de SP que quero muito conhecer. Parece ser tão gostoso passear por lá…
– Adoro The Killers, é uma das minhas bandas favoritas. Também adoro a carreira solo do vocalista, Brandon Flowers. Fiquei bem animada ao ler a Raquel falando mais sobre o novo cd do muso. <3
– Você compra um livro e usa os tickets que estão nele para fazer vários programas acompanhado pelo preço de uma pessoa só. Ideia boa? A Mel conta um pouco mais sobre a ideia.

links-semana17b– E não é que o Jardim Secreto virou febre nacional? Ontem até matéria na Ana Maria Braga teve! Se você também se rendeu aos livros de colorir para adultos, esse post do Chat Feminino está para você. A Nary separou alguns outros livros para você se divertir.
– Lembra que falei aqui sobre ter saído da agência, voltado a morar em Santo André e tudo mais? Foi meio que meu período sabático, sabe? E me identifiquei tanto com esse texto da Jana que parece que quem escreveu fui eu. É tão o que eu tô vivendo agora.
– A Isa completou 26 anos e escreveu algumas lições que aprendeu nesse tempo e ó: são dicas de ouro pra essa vida. Vale a leitura.
– Você se sente confortável em ter o corpo que tem e ser quem é? A Anna te dá um empurrão para você se aceitar um pouco melhor.
– Tá precisando de um pouco mais de positividade na sua vida? Olha esses perfis fofos no Instagram, dica da Adri.

Bom final de semana!

52 objetos: #8

52objetos-ferris

O quê: DVD Curtindo a Vida Adoidado
Por quê: É meu filme favorito
Onde está: No rack, na minha sala
De onde veio: O primeiro, em inglês e na caixinha de papel, ganhei da minha irmã e foi comprado no Canadá. O segundo comprei nas Lojas Americanas, alguns anos depois (só para ter a dublagem nacional, que eu cresci assistindo)

Já falei mil vezes que Curtindo a Vida Adoidado é meu filme favorito nessa vida. Sei diálogos de cor, passei tardes e tardes da minha infância assistindo ao dia de diversão do Ferris com a namorada e o Cameron. E por isso, em uma caixa que falasse sobre mim, eu não poderia deixar de colocar uma cópia do filme.

Lembro de, quando criança, imaginar que quando fosse adolescente iria namorar um cara tão legal quanto o Ferris (e ele usaria um colete de oncinha, É CLARO), iria matar aula para ter tardes de diversão pela cidade, iria ser tão popular e legal quanto ele… claro que não tive uma adolescência totalmente assim, mas me diverti muito e esse período da minha vida foi tão leve e gostoso quanto o que o Ferris vive no filme. Assistindo tanto ao filme acabei aprendendo com o personagem a não levar a vida tão a sério. Por que não parar e aproveitar um pouco a vida, antes de ter que se preocupar com as coisas grandes? Se você não fizer isso, pode ser que a vida passe e você a perca. ;p

O que é o projeto 52 objetos?
Em muitos anos no futuro alguém encontra uma caixa cheia de coisas que você possuiu e tenta descobrir que tipo de pessoa você era. Talvez essa caixa tenha fotografias, livros, documentos pessoais, roupas, talheres, bilhetes de shows ou até um pacote de chiclete. O que esses objetos diriam sobre você? Eles mostrariam um retrato fiel da sua vida? Qual história eles diriam?

A ideia original veio daqui e essa tradução da explicação é da Ana Paula. Você pode ver todos os outros objetos que escolhi aqui.

Andei lendo: The Perks of Being a Wallflower – Stephen Chbosky

andeilendo-perksofbeingawallflower

Desde que o filme saiu, estava doida para ler o livro. Não assisti ao filme, mas tinha visto um trailer e gostado e, por isso, resolvi esperar para ler o livro antes de assisti-lo. Demorei séculos para ler porque estava com uma fila de leitura gigante, mas enquanto esperava um vôo fiquei sem ter o que ler e ele acabou sendo o escolhido na livraria. ;)

Charlie é um garoto de 15 anos que está começando o colégio e não tem nenhum amigo. Na verdade ele tinha um, mas o menino se matou naquele ano. Charlie tem alguns problemas psicológicos, crises de ansiedade e a família toda vive de olho nele.

Como não tem nenhum amigo com quem posso dividir o nervosismo por começar o colégio, Charlie passa a escrever cartas para um garoto desconhecido, de quem ouviu algumas garotas falarem bem. A história é toda contada através dessas cartas que Charlie escreve.

Depois de um começo de aulas solitário, Charlie conhece Sam e seu irmão Patrick, que estão para se formar. Os dois meio que “adotam” o Charlie, naquela relação veterano/bixo, sabe? Passam a sair juntos, apresentam o Charlie aos amigos, o levam para festas, dão drogas pra ele… e, claro, Charlie se apaixona por Sam – que curte uns caras mais velhos e não pensa no menino assim.

O que achei mais legal em todo o livro é a doçura do Charlie. Ele é bobão, completamente inocente… e a gente entende porque Sam e Patrick gostam tanto dele. Mesmo sendo adolescentes, o livro os mostra como pessoas mais profundas e com alguns questionamentos mais profundos. Gostei muito dessa abordagem, já que o livro é basicamente sobre o relacionamento dos três e, geralmente, os autores tratam esse tipo de relacionamento como algo superficial.

Gostei muito do livro, terminei de ler querendo ser amiga dos três. Por esse motivo, assim que fechei o livro corri para assistir o filme. E ODIEI. No filme os personagens são um tanto diferentes, um pouco mais superficiais. A história acabou ficando rasa. Esperava muito mais de um roteiro feito pelo mesmo autor do livro. Foi bem decepcionante pra mim.

Preço: R$13,93 no Submarino.