andei lendo

Andei lendo: Extraordinário | R. J. Palacio

extraordinario

Já li muita resenha sobre Extraordinário, já ouvi um monte de gente falando que amou o livro (e só uma dizendo que não viu nada demais nele) e assim fiquei com muita vontade de ler também. Comprei em novembro do ano passado e deixei na estante para um dia em que estivesse inspirada a ler algo infanto-juvenil com um quê de lição de moral. E esse dia chegou só agora, 8 meses depois de eu ter comprado o livro. Ooops! Hahaha.

August é um menino de 10 anos que já passou por muito nessa vida: nasceu com uma condição genética que fez com que seu rosto ficasse deformado, passou por várias cirurgias para corrigir parte do problema e, por isso, é superprotegido pela família (a mãe, o pai e a irmã mais velha). Ele estuda em casa, ensinado pela mãe e, ao chegar ao quinto ano do ensino fundamental, seus pais resolvem que está na hora dele frequentar uma escola de verdade.

O menino nunca teve que enfrentar os olhares e maus tratos de pessoas desconhecidas sem o apoio dos pais e essa é sua maior dificuldade na escola. Crianças podem ser muito cruéis e Auggie aprende isso da maneira mais difícil. Pelo menos no meio de tanta hostilidade ele encontra dois bons amigos, Summer e Jack.

Olivia é uma adolescente de 14 que sempre entendeu que os pais precisavam dar mais suporte e atenção ao irmão. Isso não quer dizer que ela não guarda uma certa mágoa quanto à isso, ainda mais porque ela também está mudando de escola e enfrentando os primeiros aborrecimentos da vida de adolescente. Mesmo assim Via é muito compreensiva e ótima irmã e filha.

O livro é todo contado em primeira pessoa, mas cada capítulo é narrado por um personagem diferente. Isso dá um dinamismo ao livro, gostei muito. É bem legal ver o mesmo ocorrido pela versão de mais de uma pessoa, a gente vai compreendendo melhor as nuances da história.

O livro é bem rapidinho de ler e, quando acaba, deixa um gostinho de quero mais. Não vou falar muito da história, mas achei bem emocionante em alguns pedaços e engraçadinha em outros. É um livro que eu indicaria para quem curte livros young adults, numa boa.

Preço: R$18,81 no Submarino.

Este livro me ajudou a cumprir os itens 11 e 38 do 2015 Reading Challenge.

Andei lendo: Perdão, Leonard Peacock | Matthew Quick

leonard-peacock

Leonard Peacock é um adolescente que mora sozinho, já que seu pai fugiu do país porque estava sendo procurado pelo governo e sua mãe foi morar em Nova Iorque para trabalhar como estilista. Ele passa os dias completamente sozinho, já que não tem amigos na escola. A única relação verdadeira que tem é com Walter, um idoso que mora perto, com quem passa os dias assistindo à filmes antigos e com Herr Silverman, seu professor sobre o Holocausto. É uma vida totalmente solitária.

O livro começa na manhã do aniversário de 18 anos, com Leonard decidido a usar uma arma nazista herdada pelo pai para matar seu ex-melhor amigo, Asher Beal, e se suicidar em seguida. Ele toma o café, corta seu cabelo e separa quatro presentes que entregará ao longo do dia para pessoas importantes em sua vida. Tudo isso sempre pensando em sua mãe, que nem se lembra de seu aniversário e para quem acredita que sua morte será um alívio.

Leonard vai contando um pouco de sua história e de como tudo o levou até aquele momento e decisão. São coisas separadas que o marcaram e o transformaram para sempre. Tudo poderia ter sido completamente diferente somente pelo fato dele ter alguém em quem confiar e com quem contar. Vai dando uma angústia enorme, uma tristeza, definitivamente não é uma história leve.

No geral, achei o livro todo uma tristeza só. A falta de atenção, carinho e proximidade na vida de Leonard foi me deixando cada vez pior conforme o livro foi avançando, dava vontade de encontrar o menino e dar uma abraço, sabe? Isso provavelmente quer dizer que o livro é bom, né? Realmente me envolvi com a história, fiquei torcendo pelo personagem. Gostei.

Preço: R$20,90 no Submarino

Este livro me ajudou a cumprir o item 41 do 2015 Reading Challenge.

Andei lendo: O guardião de memórias | Kim Edwards

guardiao-de-memorias

David era um garoto muito pobre que perdeu a irmã ainda no começo da adolescência, conseguiu estudar e agora é um médico respeitado. Norah é uma mulher jovem e sem grandes feitos na vida. Os dois se conhecem, se casam e estão esperando gêmeos.

Norah entra em trabalho de parto durante uma nevasca e, ao chegar ao hospital, descobre que o médico que faria seu parto não conseguirá chegar ao hospital. Claro que quem faz o parto é David, mas ele conta com a ajuda da enfermeira Caroline. O primeiro a nascer é Paul, um lindo menininho. Logo depois quem nasce é Phoebe, que também era linda mas tinha Síndrome de Down. É 1964, David tem medo da reação da sociedade e da esposa e resolve mandar Caroline levar Phoebe para uma instiuição para crianças com Down, dizendo à Norah que a menina faleceu ao nascer.

Caroline acha a instituição horrível e resolve ficar com Phoebe. Se muda da cidade e cria a menina com a ajuda de amigos e de uma caminhoneiro com quem se casa.

Por causa do “falecimento” de Phoebe, o casamento de Norah e David vai acabando aos poucos. O relacionamento de Paul com o pai também é super conturbado, cheio de rancor e ódio. No meio de tudo isso David vira um fotógrafo famoso e Norah uma empresária de sucesso no ramo de viagens. Fica bem claro que os dois tomaram esse rumo para tentar trabalhar melhor o luto com a ausência da filha e para preencher o vazio que cresceu entre os dois. A vida familiar deles está longe do que poderia ser e David nunca conta aos dois a verdade sobre a filha.

O final me surpreendeu bastante, eu realmente não previa o que aconteceu. Achei isso bem legal, foi uma quebra inusitada na história, mas que também resolveu tudo muito rápido, sabe? Me pareceu que 250 páginas foram pura enrolação e no final a autora correu para terminar tudo logo.

Esse foi o livro mais demorado para ler do ano, até agora. A história é interessante, mas a narrativa da autora não engata, sabe? Ela detalha algumas coisas (o cair da neve, o vento que bate nas árvores, etc) e isso quebra muito o ritmo do livro.Ganhei de uma amiga que adorou a história (que é mesmo bem boa!), mas enrolei um pouco para começar porque tinha lido algumas críticas ruins no Skoob. A maioria falava sobre o ritmo da narrativa e nisso tenho que concordar. Eu não me dou muito bem com autores que detalham tudo demais (como o Tolkien), então sofri um pouco para ler mais de 20 páginas por vez. :/

O livro virou um filme feito para a TV americana há alguns anos e fiquei com vontade de assistir, até comecei outro dia mas parei. Olha o trailer:

Preço: R$11,61 no Submarino.

Este livro me ajudou a cumprir os itens 15 e 31 do 2015 Reading Challenge.