andei lendo

Andei lendo: Os garotos corvos – 1º livro d’A Saga dos Corvos | Maggie Stiefvater

Há algumas semanas resolvi participar de uma brincadeira no Facebook que é tipo uma corrente (ou pirâmide até) de livros. A pessoa posta a mensagem explicando a brincadeira, os amigos que se interessam em enviar um livro para um desconhecido se manifestam e também postam a mensagem e assim vai… achei muito interessante e como acho que livro nunca é demais (nem pra dar, nem pra receber), topei. No mesmo dia enviei um livro para uma desconhecida e, por enquanto, recebi 5 livros de desconhecidos e pelo visto só veio escolha boa. Um deles foi esse livro, que chamou minha atenção por ter personagens adolescentes e ser meio místico.

Blue é uma garota de 16 anos vinda de uma família de médiuns e que – olha só o azar – é a única que não nasceu com esse dom. O dom dela é o inverso – ela não pode ver nada, mas amplifica o dom de quem consegue prever e ver o sobrenatural. Sendo assim, cresceu ouvindo de todos previsões sobre sua vida (como a de que matará seu verdadeiro amor caso o beije), sem nunca poder ela mesma ver seu futuro. Sem saber nada sobre o pai, Blue vive com a mãe, algumas parentes e amigas da mãe, em uma casa onde todas atendem clientes que as buscam para saber mais sobre a vida.

Morando em Henrietta, Blue cresceu conhecendo e se mantendo afastada dos garotos ricos do colégio interno para meninos que há na cidade, chamada Academia Aglionby. Ela tem vários trabalhos para conseguir ter algum dinheiro, já que a profissão da mãe não rende muita grana e a vida é apertada.

Como Blue amplifica os poderes de médiuns, ela acompanha Neeve (a meia-irmã de sua mãe) ao Caminho dos Mortos, um local onde, em um dia específico todos os anos, o espírito das pessoas que morrerão nos próximos 12 meses faz uma procissão e acaba tendo a visão do espírito de um garoto que estuda em  Aglionby (que ela reconhece por estar vestido com o uniforme de Aglionby, que tem um corvo bordado no peito). Como ela não é médium, fica aturdida pela visão e pergunta o nome do garoto – Gansey.

À primeira vista Gansey é o típico garoto corvo (apelido dados aos alunos do colégio interno): super rico, super arrumadinho, bonito, esnobe e superficial. Só que aí a gente vai conhecendo ele e se apaixonando: na verdade, ele só não sabe como não é ser rico, tenta ajudar aos amigos e é mega obssessivo sobre linhas ley (linhas místicas super poderosas que cruzam a cidade) e em encontrar o corpo de um antigo rei adormecido, Glendower. Sua turma de amigos é composta por Adam (um garoto pobre da cidade que trabalha para pagar os estudos e tem um lar problemático), Ronan (encrenqueiro de marca maior) e Noah (calado e sempre com aparência suja).

É claro que em um certo momento os caminhos de Blu e dos garotos corvo se cruzam, eles ficam amigos e, juntos, buscam a verdade sobre linhas ley e Glendower.

Achei as personagens muito envolventes. São adolescentes, fazem as besteiras que todo adolescente faz, mas conseguem ser mais profundas e interessantes. Fiquei pensando e não consigo ter um favorito entre eles, talvez o que eu menos goste é o Ronan (mas mesmo assim acho sua personalidade bem construída). Fora que eu sou um tanto cagona e a história mexe com espíritos e tudo mais, me deu um medinho. Hahaha.

O livro tem aventura, dramas pessoais, romance… devorei em dois dias, já emendei no segundo livro (que terminei ontem) e comecei a ler o terceiro. Foi uma surpresa muito boa, fazia tempo que eu não curtia tanto uma série literária. Espero que a empolgação continue com os próximos livros.

Preço: R$28,90 na Saraiva

Andei lendo: 100 dicas para viajar melhor | Ricardo Freire

100-dicas-viajar-melhor

Já falei em outro post, mas essa foi uma notícia tão revolucionária na minha vida que tenho que falar de novo: COMPREI UM KINDLEEEE! Caramba, quanto tempo fiquei querendo um! Aí veio a Black Friday, tinha desconto nele e comprando qualquer livro eles davam mais desconto ainda. Como boa mão de vaca que sou, fui logo olhar a sessão de livros com muito desconto. Encontrei esse, me interessei e, por R$0,89 ele me garantiu um desconto a mais no Kindle. Ô coisa boa! Agora me aguentem falando desse aparelhinho maravilhoso sempre. Hahaha. Fiquei tão feliz que ele só não entrou nos melhores de novembro porque a esperta aqui esqueceu de tirar foto dele. X)

Para quem costuma pesquisar sobre viagens o autor do livro, Ricardo Freire, não é um desconhecido. Autor do famoso blog Viaje na Viagem, o cara é famoso por dar boas dicas sobre diversos destinos. Como o próprio título do livro diz, nele foram reunidas 100 dicas para qualquer tipo de viajante, dos novatos aos experts.

As dicas são divididas em sessões, para ficar mais fácil de entender e encontrar sempre que precisar fazer uma consulta rápida. Achei legal que o autor postou aqui a lista completa das dicas que estão no livro. Tem desde viagens dentro e fora do Brasil à Lua de Mel ou passeios com crianças.

Há dicas para fazer uma mala mais funcional e prática, quais documentos levar, quais as melhores épocas para visitar alguns pontos do Brasil e do mundo, como planejar o dinheiro que você vai levar e muito mais. Realmente o livro é um ótimo guia para todo dia de viajante, achei bastante coisa útil.

O livro é bem rapidinho de ler e vale a pena para quem está se programando para as próximas férias, viu? Eu estou aqui em contagem regressiva pras minhas e achei bem útil. ;)

Preço: R$ 3,91 a edição para Kindle na Amazon. Infelizmente não encontrei a versão física em loja alguma. :/

Este livro me ajudou a cumprir os item 05 do 2015 Reading Challenge.

Andei lendo: A visita cruel do tempo | Jennifer Egan

avisitacrueldotempo

Já li alguns ganhadores de Prêmio Pulitzer e, ó: nunca fui muito fã. Geralmente os livros são um pouco pretensiosos ou cabeça demais pra mim, acabo achando chato e a leitura não flui. Mesmo assim, precisava de um livro que tivesse ganho o Pulitzer para riscar esse item do desafio literário. Na minha fila de leitura não tinha nenhum, então não fazia a menor ideia do que escolher. Aí veio Dona Lec Salvadora e me emprestou o Kindle dela, justamente para eu ler esse livro. Como ela já tinha lido esse e disse que era legal, achei que valia a tentativa.

O livro é todo narrado ou mostrado pelo ponto de vista de diferentes personagens, em diferentes épocas (rola de um mesmo personagem narrar mais de um capítulo, em épocas diferentes, meio vai e vem no tempo). Acho que foi esse o motivo do livro ter ganho o Prêmio, é uma forma bem diferente de narrativa e que faz a gente ir e voltar no tempo, conhecer cada ângulo de um acontecimento e perceber o quanto a vida de cada personagem está conectada, mesmo que eles nunca tenham se conhecido. Uma coisa muito doida.

Bennie Salazar é um executivo da música e é quem, em algum momento, conecta todos os outros personagens. Sasha, é sua assistente. Jules é cunhado de Bennie e passou um tempo preso por ter agredido uma estrela do cinema, mas agora tenta retomar sua carreira no jornalismo. Stephanie é irmã de Jules e ex-mulher de Bennie. Rhea, Jocelyn e Scotty são amigos de colégio de Bennie. Alguns outros personagens menores também aparecem (amigos de uns, filhos de outros, etc), mas não são tão importantes assim, é mais para explicar algum fato realmente importante ou o que aconteceu àquela personagem maior.

No final do livro, vemos o que acontece com alguns personagens em um futuro onde a sociedade mudou, depois de anos e anos de Guerra.

Achei muito interessante e foi rapidinho de ler. Com todo esse vai e vem no tempo, a mudança de personagens e histórias não me deixava largar o livro rápido. Sempre parava para ler um capítulo e quando via já tinha lido três ou quatro. X)

Preço: R$ 19,90 no Submarino.

Este livro me ajudou a cumprir os itens 12 e 18 do 2015 Reading Challenge.