adolescentes

52 objetos: #7

52objetos-agendas

O quê: Uma das minhas agendas da adolescência
Por quê: Porque tem muita lembrança em cada uma
Onde está: No maleiro do meu guarda-roupa
De onde veio: A maioria comprei em papelarias, mercados ou livrarias. Algumas ganhei.

Estava guardando as últimas coisas que trouxe da casa da minha mãe e achei um saco cheio de agendas da minha adolescência e não resisti a folhear e ler alguns trechos. E eita, tem muita coisa ali! Muita bobeira, vários pacotinhos de bala, chocolate, band-aid bonitinho, mensagens de amigas… São sete anos de recordações. E aí me veio a ideia de que eu teria que colocar pelo menos uma delas na minha caixa para o futuro. Não sei qual, é difícil escolher. Provavelmente eu fecharia os olhos, apontaria pra uma e pronto. Hahaha.

Também tenho alguns diários de quando tinha uns 10 ou 11 anos, mas o máximo de ação que tem neles eram os dias em que eu ia ao cinema ou algo assim. As agendas são mais interessantes. :)

O que é o projeto 52 objetos?
Em muitos anos no futuro alguém encontra uma caixa cheia de coisas que você possuiu e tenta descobrir que tipo de pessoa você era. Talvez essa caixa tenha fotografias, livros, documentos pessoais, roupas, talheres, bilhetes de shows ou até um pacote de chiclete. O que esses objetos diriam sobre você? Eles mostrariam um retrato fiel da sua vida? Qual história eles diriam?

A ideia original veio daqui e essa tradução da explicação é da Ana Paula. Você pode ver todos os outros objetos que escolhi aqui.

Andei lendo: A playlist da minha vida | Leila Sales

playlist-vida-livro

Elise é uma menina de 16 anos que não tem nenhum amigo, se sente totalmente solitária e é super excluída na escola. Só lembram dela quando é para apontar o dedo ou tirar sarro com a sua cara. Ela é inteligente e interessante, mas ninguém parece notar isso. E é esse o motivo dela passar todo o verão estudando como ser uma pessoa “normal” e mudando tudo a seu respeito, para ver se as pessoas começam a notá-la.

Elise chega ao seu primeiro dia de aula após as férias achando que roupas novas, muitas e muitas revistas de moda como referência e uma mudança de atitude vão ser suficientes para que alguém queira ser seu amigo. E aí, claro, o plano dá errado e ela é até notada, mas somente porque as pessoas queriam tirar algum proveito dela. Percebendo que os dois meses que passou sem fazer nada além tentar se transformar em outra pessoa não serviram para nada, ela resolve se suicidar. Chega em casa, prepara tudo… e não tem coragem. Aí resolve se cortar só para ver qual seria a sensação, liga para uma das meninas que ela queria que fosse sua amiga para contar isso, é levada para o hospital e fica internada. Após um tempo, ela volta para a escola e tudo volta a ser como era antes: ela é só a menina esquisita com quem ninguém quer conversar.

Depois desse tempo que passou afastada de tudo, Elise começa a sair escondida para andar pela cidade sozinha. Ouvindo música, a menina anda muito tempo e, em um desses passeios, é abordada por duas meninas que indicam onde é a balada (para a qual elas achavam que Elise estava indo). Elise fica amiga de Vicky e Pipa, se encanta pelo DJ Char e acaba levando duas vidas paralelas, sem que ninguém saiba. Durante os dias ela é a esquisita Elise na escola e às quintas à noite ela dança, tem amigos e aprende a ser DJ também.

Elisa é perseguida pelos adolescentes mais populares na escola, arranja briga com a família, é super confusa. O livro é super gostoso de ler, do tipo que você não larga enquanto não termina, sabe? A menina faz muitas burradas, mas são todas tão com cara de adolescente que dá para entender totalmente e nem ficar com raiva dela. Hahaha. Fora que os outros personagens também são legais e o final do livro, apesar de ser um tanto previsível, mostra o quanto ela aprendeu sobre si mesma durante toda a história. Gostei muito, apesar do tema parecer um pouco pesado, o livro é bem divertido e fiquei torcendo para ter mais algum outro volume sobre a personagem, mas não tem. :(

Preço: R$29,90 na Livraria Cultura

aviso-publi-gifts

Andei lendo: Sorte ou Azar | Meg Cabot

sorte-azar-megcabot

Jeane é uma menina de 16 anos conhecida por seu azar. Quando ela está por perto algo estranho sempre acontece ou dá errado. Até por isso ela tem o apelido Jinx (azar, pé frio) desde que nasceu.

Ela se muda de uma cidade pequena para Nova York, onde vai morar com os tios. Os tios tem três filhos e uma au pair, uma casa enorme e estão dispostos a fazer com que Jinx tenha uma ótima vida na cidade. Zach é o vizinho legal e bonito, que fica amigo de Jinx logo de cara. Tory, a prima que tem a mesma idade que Jinx e que é apaixonada por Zach, está convencida de que é uma bruxa com poderes herdados de uma tata tata tataravó das meninas e acaba achando que Jinx também é. E aí a história começa a ficar agitada.

Tory e suas amigas que querem ser bruxas me lembraram MUITO aquele filme Jovens Bruxas, sabe? Tory é uma doida insuportável e Jinx é a boazinha meio songa monga de todo livro mulherzinha. Hahaha. Zach é super interessante, todo esperto e depois li em uma resenha da Pam que ela imaginava o personagem exatamente como o Chace Crawford e achei engraçado, foi exatamente assim que imaginei o menino o livro inteiro! Hahaha.

A história é super previsível, o enredo não tem grandes novidades… mas o livro é gostoso de ler e daqueles que a gente lê numa sentada só. Adoro Meg Cabot e livros assim, então gostei bastante. Não é o meu favorito dela, mas é divertido.

Preço: R$21 no Submarino