diarinho

52 objetos: #40

Achou que eu tinha abandonado o projeto? Nã-nã-ni-nã-não, colega! Só estou mega hiper atrasada, mas cá estou eu para terminar as últimas semanas dele. Ha! Mas uma coisa tenho que confessar: ainda não decidi os últimos objetos, tá difícil pra caramba de escolher. Parece que tudo o que penso é repetição de algum objeto que já escolhi, sabe? Tá osso!

52-objetos-papel-carta

O quê: Papéis de carta
Por quê: AMO uma cartinha
Onde está: Dentro de um caderno, no meu armário do escritório
De onde veio: De vários lugares, nunca resisto quando encontro algum bonito e barato. Também ganhei alguns.

Quando eu tinha uns 8 anos coloquei um anúncio no caderno infantil de um jornal aqui do Grande ABC pedindo para conhecer amigos por cartas. Começo dos anos 90, né? Não rolava tanta neurose das pessoas saberem o nosso endereço, ninguém tinha e-mail ainda… esse foi o jeito que encontrei para conhecer pessoas diferentes e escrever, coisa que sempre gostei.

Eu tinha vários amigos por correspondência (se fosse moderna, chamaria de penpals, mas né? Naquele tempo eu nem sabia que esse termo existia! Hahha), com alguns me correspondi por anos, até a adolescência. Aos 12 anos, quando comecei a ter internet em casa, fiz amigos pelo bate-papo do ZAZ (ô saudade!) e trocava cartas com eles. Com minhas melhores amigas na escola também trocava cartas: a gente se via todo dia, o dia inteiro e, ainda assim, escrevíamos as cartas e mandávamos pelos correios. Depois, no colégio, trocava cartas com a irmã de uma colega de sala, sempre com embalagens e temas mega elaborados (elas iam em caixas bordadas, balões de ar, etc, uma loucura). Tenho todas essas cartas guardadas em caixas e, com certeza, guardarei todas pelo resto da vida.

Depois de adulta troquei cartas com algumas amigas, filhos de amigas.. mas em todos os casos eu fui a última a não escrever, que vergonha. Tenho que retomar o hábito. Sempre penso nisso, tanto que tenho um pequeno estoque de papéis de carta só esperando para ser usado.

Adoro escrever cartas e adoro receber uma. Antes que alguém aqui fale “ahhh, muito melhor e mais fácil escrever um e-mail”, já vou avisando: NÃO! Cartas são verdadeiras demonstrações de carinho. Saber que a pessoa parou, pegou a caneta, escolheu um papel legal e dedicou um tempo a pensar e falar exclusivamente com você é sensacional.

O que é o projeto 52 objetos?
Em muitos anos no futuro alguém encontra uma caixa cheia de coisas que você possuiu e tenta descobrir que tipo de pessoa você era. Talvez essa caixa tenha fotografias, livros, documentos pessoais, roupas, talheres, bilhetes de shows ou até um pacote de chiclete. O que esses objetos diriam sobre você? Eles mostrariam um retrato fiel da sua vida? Qual história eles diriam?

A ideia original veio daqui e essa tradução da explicação é da Ana Paula. Você pode ver todos os outros objetos que escolhi aqui.

Tag: Minhas 7 sensações favoritas

Ahhhh, quanto tempo sem responder tags! E aí veio a Miche linda e me indicou essa que foi tão prazerosa de responder. Obrigada, Miche!

A ideia é que eu escolha 7 sensações que mais goste, mas olha: foi difícil. Passei alguns dias listando e acabei com uma lista enorme. Hahaha. Tive que ir limando e ficaram essas. Isso não quer dizer que essas sejam minhas favoritas, fui eliminando por coisas que tenham acontecido mais recentemente. Geminiano é um ser avesso à escolhas definitivas, né? Nisso sou MUITO meu signo, não tem jeito.

Colocar os óculos

caro-oculos
Óculos pra ser madrinha de casamento: CLARO QUE SIM! Se não eu nem conseguiria prestar atenção à cerimônia. :p

Tenho 1,5 de miopia o que, pra muita gente, não é muita coisa. Mas é. Com esse grau eu não exergo muito bem algo que esteja a mais de um metro de distância, fico meio perdida e desorientada, não ouço direito e, o pior de tudo, não consigo me concentrar em nada. Sim, tudo isso acontece quando eu tento enxergar alguma coisa de longe sem óculos. Em compensação, para ficar no computador e para ler não uso, me incomoda. Vai entender.

Voltando à sensação, quando eu coloco fico normal de novo e olha, não há coisa melhor do que enxergar, ouvir direito e conseguir pensar claramente. Pode ser loucura minha, mas conheço outros “4 olhos” que também passam por esses “sintomas” quando estão sem os óculos.

Usar sapato novo

Um dos últimos sapatos novos por aqui, nunca resisto a tirar foto deles. X)
Um dos últimos sapatos novos por aqui, nunca resisto a tirar foto deles. X)

Ahhhhh, a delícia que é colocar um sapato novo nos pés. Primeiro tem o prazer de experimentar, gostar e levar pra casa. Aí vem todo um ritual: escolher uma roupa bem bonita pra que ele combine super bem na primeira saída. Acho que esse é o momento em que tenho mais prazer em me vestir. Hahaha. Adoro pensar em um look “certo” pra estrear um sapato.

O mais engraçado é que isso tenho desde criança. Lembro de uma vez em que saí com a minha mãe para ir ao banco e estava precisando de um tênis novo. No caminho passamos em uma loja e ela comprou um pra mim, eu já quis sair da loja com ele no pé. Fomos ao banco e, de tanto que eu olhava pro meu pé e ficava falando do tênis com a minha mãe, a mulher que estava na minha frente na fila virou e falou “é novo esse tênis?”. HAHAHAHHA. Ôôôô vergonha! Eu devia ter uns 10 anos, lembro até hoje da cena certinha, qual era o tênis e tudo mais. X)

Lençol limpinho

Cama desfeita após acordar, por Shutterstock.
Cama desfeita após acordar, por Shutterstock.

Sabe quando você chega em casa cansado, toma banho, coloca o pijama e deita na cama com aquele lençol limpinho, que você acabou de colocar na cama? POIS É. Caramba, é quando eu durmo melhor. O cheirinho de limpo do lençol, ele bem esticadinho na cama.. ô delícia! Acho que é exatamente por isso que muita gente diz que dorme bem em hotel, sabia? O lençol faz sim muita diferença.

Cheiro de roupa limpa no varal

Roupas coloridas secando no varal, por Shutterstock.
Roupas coloridas secando no varal, por Shutterstock.

Lavar roupa sempre foi uma coisa que gostei de fazer, só não digo que fazia isso desde criança porque minha mãe gostava de fazer e nunca me dava a oportunidade. HAHAHA. Mas desde que sou responsável por lavar as minhas roupas curto muito essa tarefa. Separar a roupa, colocar na máquina, escolher sabão e amaciante cheirosos… tudo para, quando eu estender a roupa no varal o cheiro de roupa limpinha invada a casa. E quando tenho que sair logo depois e volto pra casa com o cheiro tomando todo o lugar? Afe maria, melhor momento! <3

Lavar a mão quando ela está suja

Lavando as mãos com sabão debaixo da água corrente, por Shutterstock.
Lavando as mãos com sabão debaixo da água corrente, por Shutterstock.

Eu tenho mania de lavar a mão depois de mexer em praticamente qualquer coisa. Começou porque meu nariz coçava quando eu brincava com os meus cachorros em casa. Depois de adulta, com a alergia à pó e cheiro, virou uma necessidade e, daí, pra virar hábito foi um pulo.

Adoro chegar em casa com aquela sensação de mão suja (peguei dinheiro, encostei em um monte de coisas em lojas, etc, etc) e lavar a mão com calma. Lava a palma, as costas da mão, entre os dedos… e fico tranquila de que o nariz e o olho não vão reclamar. Haha. Depois é só passar um pouco de hidratante de mão e pronto.

Ok, vocês já devem estar achando que sou uma louca por limpeza tipo a Mônica Geller. Juro que não sou, mas é que essas três últimas sensações são muito boas e vivem acontecendo por aqui. :p

Tomar chá quente no frio

Stroopwafel e chá da tarde, por Shutterstock.
Stroopwafel e chá da tarde, por Shutterstock.

Alguém aí ainda não sabe que adoro o frio? Uma das coisas que mais gosto é quando estou com frio, faço um chá bem quentinho e vou sentindo ele me esquentar por dentro enquanto tomo. Quase que dá pra ver tudo por dentro passando de azul-com-frio pra vermelho-ai-que-quentinho. Hehehe. Se tiver um stroopwafel pra acompanhar, melhor ainda.

Entrar em um avião sabendo que quando sair estarei em um lugar completamente diferente

Embarquei em Zurique e desci em São Paulo, ô sensação boa!
Embarquei em Zurique e algumas horas depois via São Paulo pela janela, ô sensação boa!

Como não amar essa sensação? COMO? Você está lá, na sua cidade, aí entra em um avião e PUM!, sai em outro estado ou país depois de algumas horas de leitura, filmes e cochilos. Caramba, gente. Acho isso sensacional. Andar de avião é sempre uma alegria pra mim, por menor que seja a viagem.

Deixei de fora o cheirinho da comida sendo feita em casa (principalmente no Natal), o abraço de quem a gente ama, receber uma carta, presentear alguém… é muita sensação boa pra gente escolher só sete, essa tag tinha que ser de pelo menos 15 escolhas. Hahaha. E pra vocês, quais são as melhores sensações?

As 12×10 coisas mais de legais de 2015

Ainda dá tempo de falar de 2015? Dá, né? Se não der, OH QUE TRAGÉDIA, falarei mesmo assim.

Vi muita gente reclamando de 2015, mas por aqui foi tudo ok. Não foi um ano de muitas emoções, mas foi cheio de alegrias. Fiz coisas que nunca pensei que faria, cresci de várias maneiras, passei a ter um olhar mais tranquilo para a vida. Isso já é bastante coisa para comemorar.

melhores2015a

Janeiro: teve virada de ano com os amigos, muitos encontros com vários amigos e nascimento de afilhada linda. Também peguei firme na academia, foi o primeiro mês inteirinho em que malhei todos os dias úteis em anos!
Fevereiro: corri, tive a companhia da minha irmã e da Suicinha, encontrei amigos e fiquei muito tempo com as sobrinhas. Que delícia passar o tempo com essas pequenas que me surpreendem sempre. <3
Março: mais corridas, mais amigos, mais encontros e muita comida boa. Também teve família e comemoração de aniversário de namoro. Março foi corrido, mas cheio de amor.
Abril: fomos convidados para sermos padrinhos de casamento de um casal muito querido, viagem para a praia por alguns dias úteis, aniversário de criança, convite para ser madrinha de consagração da Rebeca, corrida com as amigas e a maior surpresa do ano: saltei de paraquedas. Caramba, que experiência! Vira e mexe penso em fazer isso de novo, é muito legal.
Maio: comilança com os amigos, cinema com as amigas, bateção de perna em feira com a Ju, aniversário da sobrinha caçula e uma das minhas corridas favoritas para fechar o mês. Ótimo jeito de completar o último mês com 30 anos.
Junho: mês de aniversário é sempre uma delícia! Teve mais bateção de perna em feira, muito mais comilança, festinha de aniversário pra mim, festa de aniversário da sobrinha, exposição de decoração, passeio pela Liberdade, evento de lançamento de coleção de inverno, aniversário de amiga e batizado da Rebeca. Mês cheio!

melhores2015b

Julho: paseei um pouco com meus pais, assisti show de amigo, levei a Pequena Buda ao cinema pela primeira vez, assisti a uma palestra sensacional, corri e encontrei os amigos. E eu lembrava de julho ter sido parado, pelo jeito não foi não. Haha.
Agosto: encontrei a família, passei a ter companhia diária na academia, ganhei sapato, encontrei a Mônica e a Magali no meio da corrida, fui a duas festas de crianças queridas, li bastante e vi muitos amigos. Agosto também foi o mês em que decidi que completaria minha primeira meia maratona e mudei vários hábitos para fazer isso. Taí um momento importante do ano, mudou muita coisa por aqui.
Setembro: ver uma das minhas amigas de infância realizar o sonho de casar foi a maior emoção do mês. Também tatuei o que queria há anos (e tô devendo post sobre isso, eu sei!), corri com as amigas, brinquei com as sobrinhas e comi muuuuuito com os amigos. A primavera começou bem por aqui.
Outubro: teve chá de bebê, videogame com os amigos, churrasco com a família, passeios e eventos (conheci a fábrica do Mc Donalds, coisa que sempre tive vontade!), corridas com o Henrique e as amigas, passeio com outras amigas e… COMPLETEI MINHA PRIMEIRA MEIA MARATONA. Caramba, que delícia foi realizar isso. Não falei disso na época porque tudo estava meio bagunçado na minha cabeça, mas prometo fazer isso logo logo lá no Acordei Disposta. ;)
Novembro: a visita de amigos que moram longe animou o mês logo no começo. Depois teve casamento, tarde de fofocas, corridas, festa de aniversário.. foi um mês cheio de amigos, que coisa boa! Também viajei para a praia e conheci Londrina, à convite da Coca-Cola. Mês animado e muito gostoso, passou voando.
Dezembro: o mês começou em contagem regressiva aqui. Como eu viajaria de férias no meio do mês, corri bastante para deixar tudo adiantado no trabalho. Encontrei as amigas, corri com amigos, fui à festas de aniversário, lancei com a Erica e a Ju o Acordei Disposta. Depois disso, viajei, aproveitei a companhia da família, visitei os amigos e vi neve. APENAS ISSO. Dezembro foi o mês mais concorrido do ano, mas um dos mais gostosos também.