#casórioamaralfernandes: o vídeo

Uma das coisas mais difíceis pra gente foi definir a empresa que faria o vídeo do casamento. Como o Henrique trabalha com isso, o critério era alto e os pequenos detalhes contaram na hora de nós dois gostarmos de um mesmo fornecedor. Estávamos certos de fechar com uma empresa que fazia foto e filmagem tudo junto mas, em cima da hora, vimos alguns trabalhos dessa empresa que nos deixaram apreensivos. Voltamos à pesquisa e encontramos a solução contratando foto (que merece um post só para elas) e vídeo separadamente. O resultado não poderia ter sido melhor, ficamos MUITO satisfeitos e vira e mexe assisto novamente a versão curta do nosso vídeo, é um xodó:

23Vídeo feito pela This Is Not a Wedding Film, aqueles lindos!

Andei lendo: Eu sobrevivi ao Holocausto | Nanette Blitz Konig

Há dois anos caí de paraquedas em uma palestra da Nanette König e, desde então, seu livro estava na minha lista de desejos. Por isso, quando finalmente assinei ao Kindle Unlimited (abençoada seja a promoção de 3 meses por R$ 1,99!), o livro foi um dos que entrou como prioridade na minha lista de leitura.

Basicamente o único problema de ler no Kindle: Não ter a capa do livro grandona para fotografar pro blog. :/

No livro Nanette narra com detalhes como era sua vida em Amsterdam, como foi sua passagem pelos campos (um de “triagem” e um de concentração) e como foram os anos seguintes à sua libertação. A riqueza de detalhes, principalmente nas passagens sobre os campos, é brutal. Nunca tinha lido um relato tão aberto de um sobrevivente do Holocausto e com tantos detalhes que me fizeram imaginar os horrores daquele tempo com maior nitidez.

Entre as histórias contadas no livro, com certeza a que mais foi comentada é a de como Nanette e Anne Frank se encontraram, o que conversaram e como ela ficou sabendo de sua morte, ainda no campo de concentração de Bergen-Belsen. Essa pode ser a passagem que mais causa interesse em quem nunca ouviu falar da autora, mas não é nem de longe a mais sofrida ou a que traz mais reflexão.

Eu já assisti a muitos vídeos, vi muitas fotos, visitei campos de concentração… mas ler este livro foi um soco no estômago. Virou aquele livro que recomendo à todo mundo que gosta de saber mais sobre a época da II Guerra Mundial.

Preço: a partir de R$ 19,99.

#casórioamaralfernandes: os sapatos

Precisava ter um post só sobre meus sapatos? Não precisava, mas eu gostei tanto das duas escolhas que quis fazer um post separado só pra isso. #medeixa

Quando era mais noiva, achava que usaria uma saltão enorme no meu casamento. O tempo passou, a “veiaca” se instalou e, apesar de ainda achar lindo sapato com salto super alto, essa ideia nem passou pela minha cabeça quando comecei a olhar os sapatos pra casar. Hahaha. Queria conforto e um sapato que eu pudesse usar várias vezes depois. Um modelo branco nunca esteve nos meus planos, então foi mais fácil de filtrar as opções na hora de escolher.

Foto: Amanda Francelino

Como escolhi um vestido com estilo meio retrô, procurei sapatos também nesse estilo e me apaixonei por esse, da ZPZ Shoes. Acabou que decidi que era ele e tudo, mas, como tinha bastante tempo ainda para o casamento, resolvi esperar pra ver se ele entrava em promoção. Pois bem: entrou, eu esqueci de ficar de olho e acabou na loja virtual o modelo na cor que eu queria. NOOOO! Hahaha. Bem cabeçuda, né? Saí ligando para as lojas físicas da marca, encontrei em uma delas, paguei o frete e me enviaram pelos correios. Baita sorte, acabei pegando o sapato na cor que queria e com o preço da promoção. \o/

Foto: Amanda Francelino

Ele chegou, serviu certinho e eu adorei. Mesmo o salto dele sendo mediano, eu sabia que uma hora ele iria me incomodar. O que fiz? Isso mesmo: apelei pro máximo conforto e resolvi que iria usar um tênis para aproveitar a festa sem problemas. Como tinha economizado na compra do sapato “principal”, comprei um Converse que eu tava namorando há meses (até antes de resolvermos casar). Um Converse de couro metalizado rosé, bem noivinha fofa. Uso muito tênis no dia a dia, então imagina se esse tênis não virou meu uniforme logo depois do casamento, né? Já tá com biqueira super suja, meio riscadinho e tal. X)

Foto: Amanda Francelino
Foto: Amanda Francelino