Berlim – Ampelmann, Trabant e o Buddy Bär

Andando por Berlim é impossível não notar a presença constante de três ícones da cidade: o homenzinho do farol Ampelmaan, o carrinho simpático Trabant e as estátuas de urso com suas versões coloridas e divertidas. Eu não podia deixar de falar um pouco mais sobre eles, foi bem divertido andar por lá e dar de cara com algum desses três ícones a todo momento. ;)

Ampelmann

ampelmann

Andando pela antiga parte Oriental da cidade você vai reparar que os bonequinhos nos sinais de pedestres são diferentes dos usados na outra parte da cidade. Esses tem chapéu, um contorno diferente e são chamados de Ampelmann (em uma tradução livre, “o homem do semáforo”).

Foram criados após um psicólogo de trânsito chegar à conclusão de que as pessoas responderiam melhor aos sinais de trânsito se eles fossem menos impessoais e mais simpáticos, criando um laço afetivo com os cidadãos. E assim todos os sinais para pedestres do lado Oriental ganharam o contorno desse homenzinho simpático.

Depois da queda do Muro houve a unificação dos sinais e eles foram substituídos pelos universais (iguais aos que usamos aqui no Brasil). Isso gerou uma revolta entre os moradores do ex-lado comunista, tiveram que fazer uma votação para saber se mudavam para o contorno universal e, claro, o Ampelmann ganhou. Assim boa parte dos sinais que ficam na antiga parte Oriental da cidade voltaram a ter o Ampelmann como ícone.

Hoje há uma rede de lojas (chamava Ampelmann) que vende todo tipo de produtos com os bonequinhos. Tem camiseta, chaveiro, copo, camiseta, imã, marcador de página, guarda-chuva, bolsa, toalha… os ítens são uma graça e a gente entrava em todas as lojas da rede que víamos, já que em cada uma encontrávamos alguma coisa diferente. Todo o lucro gerado pela venda desses produtos é de direito da antiga Alemanha Oriental, servindo para realizar melhorias na área. Trouxe para casa um par de imãs, são meu xodó.

amppelman

Mais informações: Site oficial

Trabant

trabant

O Trabant era o carro “oficial” da Alemanha Oriental. Produzido por uma indústria alemã especificamente para venda do lado comunista do país, tinha a carroceria feita de um material plástico muito parecido com fibra de vidro e que barateava seu custo. Isso gerou até um grande problema nos anos 90, já que não conseguiam eliminar as carrocerias antigas (que não eram recicláveis) e tiveram que desenvolver um fungo para isso (!!!).

A palavra Trabant significa “companheiro de viagem” e era exatamente isso o que ele era para os moradores do lado oriental do país. O chamavam de Trabi (acho muito mais legal esse apelido do que o nome original) e podiam chegar a, no máximo, 100 km/h com ele.

Claro que depois da queda do Muro o carro deixou de ser tão usado e alguns donos até os abandonavam na rua quando percebia o quão obsoleto ele era. Hoje você pode até alugar um para andar pela cidade, cada um tem uma pintura diferente (tipo esse de bolinhas na foto aqui embaixo) e são super bonitinhos. É em um dele que você pode entrar no DDR Museum.

berlim02

Mais informações: Trabi-Safari

Buddy Bär

berlim-ursos

O urso é o símbolo das armas de Berlim há vários séculos e acabou se tornando o símbolo da cidade (está até na bandeira dela). Em 2003, inspirado na Cow Parade, foi criado o Buddy Bär (um “urso camarada” de 2m de altura) e enviado para 350 artistas fazerem suas versões próprias, para serem expostas nas ruas da cidade. Quando mais de um urso era exposto junto, eles eram colocados lado a lado para parecer que estavam dando as mãos, simbolizando união.

Hoje os Buddy Bärs são exibidos no mundo todo (já passaram até pelo Rio de Janeiro) e muitos continuam pelas ruas de Berlim, geralmente na porta de consulados ou estabelecimentos comerciais.

Eu, bobona que sou, tirei foto com vários. HAHAHAHA. Sempre de mãozinha pra cima porque queria imitar a pose deles. Se eu sempre me empolguei com a Cow Parade, imagina se não ia me empolgar com ursos gigantes? Até parece. :p

berlim-ursos2

berlim-ursos03Mais informações: Site oficial

Comentários via Facebook

7 comentários

  1. Lívia em | Sempre vem aqui e já comentou 113 vezes. ;) Responder

    Ah, que bonitinho o mocinho do semaforo heh achei uma graça o porquê de terem-no criado.
    E, meu, os caras desenvolveram um fungo pra acabar com o lixo que deixaram. Bato palmas!
    Beijo =*

    1. Ana Carolina em | Administrador/a do blog. Responder

      Né? Achei demais essa história do fungo!

  2. Lec em | Sempre vem aqui e já comentou 506 vezes. ;) Responder

    Acho muito mais fofo esse semáforo diferente. Adorei quando foi implantado aqui em São paulo tb =)

    Eu tenho uma caneca desse urso e é a coisa MAIS FOFA de todas. Acho q ia tirar mil fotos com eles tb (se eu pirei em princesas da disney, imagina eles hahaha)

    1. Ana Carolina em | Administrador/a do blog. Responder

      Não vi caneca deles por lá! :O
      Eu ia trazer uma do Ampelmann pra vc, mas era muito normalzinha…

      1. Lec em | Sempre vem aqui e já comentou 506 vezes. ;) Responder

        A minha é a laranja, um amigo me trouxe quando passou férias lá

        http://www.world-wide-souvenirs.com/product_info.php?cPath=18&products_id=92&osCsid=87228a16fb585c2631ed44636e7c2ef4

  3. Chell em | Sempre vem aqui e já comentou 309 vezes. ;) Responder

    Adorei essa curiosidade do semáforooooo =O
    E esses “parades” são muito bacanas né?
    Quando fui pra Londres tinham Paddingtons (aquele ursinho de capuz) em váaarios lugares também rsss

    1. Ana Carolina em | Administrador/a do blog. Responder

      Ah Meu Deuuus, parade do Paddington deve ser muito fofo!!!! :O
      Assisti o filme e adorei. <3

Deixe o seu comentário