Janeiro 2015

Clica aí, colega! #13

Essa semana foi difícil: começou com dor de estômago e está terminando com uma inflamação de garganta como há anos eu não tinha. Passei uns 2 ou 3 dias quase sem voz, tossindo muito.. agora tô meio baqueada dos remédios, mas já estou melhor. Sendo assim, não li muita coisa e acabei descobrindo alguns links mais antigos que eu tinha salvo e não postei. Ha! Então a lista de hoje é um mix entre coisas legais mais atuais e um pouco mais antiguinhas.

Acho que todo mundo já viu esse vídeo, mas eu tinha que começar com ele. Um policial americano fazendo uma ronda pelas ruas e interpretando Taylor Swift quando acha que ninguém está vendo! Sério, eu faço igualzinho a ele sempre que escuto a música e estou trabalhando. HAHAHAH. Ando meio viciada nesse novo disco da Taylor e essa é minha música favorita. <3

links-semana13a

– Já vi muitas fotos de reservas naturais na África, acho lindo… mas nunca tinha pensando em um casamento acontecendo em um lugar assim. E aí vi essas fotos e babei. Cenário lindo para uma cerimônia tão significativa, né?
– A Lec sabe que amo casamentos e me conhece bem o suficiente para saber que o dia em que casar, não deixarei de fora meus óculos. E aí ela me mandou essa lista com 23 noivas arrasando e enxergando em seus casamentos e ó: uma mais linda que a outra.
– A recebeu uma carta fofa e surpresa, foi atrás para saber mais e descobriu o projeto Snail Mail My Email. Fiquei morrendo de vontade de mandar uma carta através do projeto, tô de olho para ver quando abrirão mais oportunidades. :D
– A Carol postou algumas ilustrações de Nan Lawson e não tem como não se apaixonar.
– Mulheres que tem câncer sofrem. Mulheres que lutam contra ele e tem que fazer uma mastectomia, sofrem mais ainda. Esse projeto do tatuador Miro Dantata é fantástico e tem que ser conhecido por mais gente. Estou impressionada com o realismo do mamilo tatuado por ele!

links-semana13b

– Alô patrulha da vida alheia, esse post sobre quem pode usar biquínis é para vocês!
– Adorei essa sequência de vídeos com famosos que a Vogue fez. Não conhecia até ver o post da Bruna e comecei logo pelo vídeo do Daniel Radcliffe, né? :D
– O pai da Dani é crítico de cinema e lançou um livro que estou doida para ler (e ver quantos filmes listados já assisti). Nele são listados filmes que vão fazer com que você aprenda mais sobre cinema de uma forma geral.
– Que viajar para o exterior e não sabe nem por onde começar? Quanto custa? O que precisa decidir primeiro? A Miche dá a dica de tudo isso, em um post bem completinho.
– A Jéssica ensinou como decifrar descritivos de fragrâncias. Achei o máximo, nunca entendia nada e ficava imaginando o que são notas de saída e de fundo.

52 objetos: #4

52objetos-toalha-mariobros

O quê: Conjunto de toalhas de banho bordadas com desenhos do Mario
Por quê: Me lembra uma época de muita expectativa e representa um hobby que amo
Onde está: No baú da cama, junto com outras toalhas limpas
De onde veio: Comprei nas Americanas e bordei

Queria muito colocar alguma coisa que eu tivesse bordado nessa lista. Pensei e revi quase tudo o que fiz e tenho aqui comigo e esse jogo de toalhas me fez lembrar da expectativa de quando o nosso primeiro apartamento estava ficando pronto, de quando vi esse gráfico e fui correndo até as Americanas na hora do almoço para comprar as toalhas e começar o bordado naquele mesmo dia.

Bordar ponto cruz é um passatempo que me acalma, me satisfaz e faço com muito gosto. Fico um tempão sem bordar, depois me empolgo e saio bordando um monte de peças seguidas, rapidinho. É uma coisa que faço sem me cobrar muito, algumas peças demoro anos para terminar porque fico enjoada do gráfico ou passo várias outras peças na frente. Atualmente estou na terceira peça de um jogo de toalhas de banho do De Volta para o Futuro que comecei em 2012. Hahaha.

Tenho panos de prato, quadro, toalha de mesa e outros jogos de toalha de banho que eu mesma bordei, mas essas são minhas peças mais queridas. Lembro de alguns dias em que fiquei bordando elas, do meu primeiro acidente de manchar roupas na máquina de lavar (a toalha de banho está meio rosa, por causa disso)… são peças cheias de lembranças boas, engraçadas e que representam uma grande mudança na minha vida – quando saí da casa dos meus pais.

O jogo tem duas toalhas de banho e duas de rosto, mas eu colocaria só um conjuntinho na “caixa”, pra poupar espaço e continuar tendo pelo menos um conjunto comigo. ;)

O que é o projeto 52 objetos?
Em muitos anos no futuro alguém encontra uma caixa cheia de coisas que você possuiu e tenta descobrir que tipo de pessoa você era. Talvez essa caixa tenha fotografias, livros, documentos pessoais, roupas, talheres, bilhetes de shows ou até um pacote de chiclete. O que esses objetos diriam sobre você? Eles mostrariam um retrato fiel da sua vida? Qual história eles diriam?

A ideia original veio daqui e essa tradução da explicação é da Ana Paula. Você pode ver todos os outros objetos que escolhi aqui.

Andei lendo: The Perks of Being a Wallflower – Stephen Chbosky

andeilendo-perksofbeingawallflower

Desde que o filme saiu, estava doida para ler o livro. Não assisti ao filme, mas tinha visto um trailer e gostado e, por isso, resolvi esperar para ler o livro antes de assisti-lo. Demorei séculos para ler porque estava com uma fila de leitura gigante, mas enquanto esperava um vôo fiquei sem ter o que ler e ele acabou sendo o escolhido na livraria. ;)

Charlie é um garoto de 15 anos que está começando o colégio e não tem nenhum amigo. Na verdade ele tinha um, mas o menino se matou naquele ano. Charlie tem alguns problemas psicológicos, crises de ansiedade e a família toda vive de olho nele.

Como não tem nenhum amigo com quem posso dividir o nervosismo por começar o colégio, Charlie passa a escrever cartas para um garoto desconhecido, de quem ouviu algumas garotas falarem bem. A história é toda contada através dessas cartas que Charlie escreve.

Depois de um começo de aulas solitário, Charlie conhece Sam e seu irmão Patrick, que estão para se formar. Os dois meio que “adotam” o Charlie, naquela relação veterano/bixo, sabe? Passam a sair juntos, apresentam o Charlie aos amigos, o levam para festas, dão drogas pra ele… e, claro, Charlie se apaixona por Sam – que curte uns caras mais velhos e não pensa no menino assim.

O que achei mais legal em todo o livro é a doçura do Charlie. Ele é bobão, completamente inocente… e a gente entende porque Sam e Patrick gostam tanto dele. Mesmo sendo adolescentes, o livro os mostra como pessoas mais profundas e com alguns questionamentos mais profundos. Gostei muito dessa abordagem, já que o livro é basicamente sobre o relacionamento dos três e, geralmente, os autores tratam esse tipo de relacionamento como algo superficial.

Gostei muito do livro, terminei de ler querendo ser amiga dos três. Por esse motivo, assim que fechei o livro corri para assistir o filme. E ODIEI. No filme os personagens são um tanto diferentes, um pouco mais superficiais. A história acabou ficando rasa. Esperava muito mais de um roteiro feito pelo mesmo autor do livro. Foi bem decepcionante pra mim.

Preço: R$13,93 no Submarino.