novembro 2014

Clica aí, colega! #10

Pouquinhos links essa semana, não deu tempo de ler muita coisa. ;)

links-semana10

– A Anne deu dicas de bandas legais que ela conheceu esse ano. Depois desse post, fiquei apaixonadinha por Dan Croll.
– Quando eu falo que sou esquecida, ninguém me leva muito a sério. Mas olha, eu passo por todas as coisas dessa lista. TODAS. Infelizmente.
– Já pensou em transformar um carrinho de mercado em poltrona? Ideia super boa que a Sôssô postou.
– Não conhecia o projeto Fale com estranhos e achei os vídeos bem interessantes. Dica da Maqui.
– O peso da frase “Faça o que você ama, ame o que você faz” tá sobre seus ombros? Vem cá e lê esse texto da Isa, vamos conversar sobre ser super ok você encarar seu trabalho somente como fonte de sustento para fazer o que você realmente ama e ser feliz com isso.

Paris – roteiro, mapa e dicas

Cabô posts sobre Paris. Fiquei com saudade da cidade, olhando as fotos. Ultimamente bastante gente que conheço foi para lá e as fotos da cidade no outona são lindas. Quem sabe um dia não volto para ver a estação por lá.

torre-paris-iluminada

O mapa com todos os pontos turísticos que visitei (ou quis, pelo menos) pode ser visto clicando no botão abaixo:

Aqui você encontra o doc com todas as informações que coletei para o meu roteiro. É a mesma coisa que o de Lisboa, é só bater as cores com as do mapa acima e você se acha rapidinho. :)

Dicas:
Tente aprender o básico do básico em francês, pelo menos. Senti na pele que a francesada não curte muito só falar inglês, então aprender a dar bom dia, boa noite, obrigada e pedir licença é obrigatório. Pelo menos isso, se você conseguir aprender mais, melhor.
Fuja dos vendedores de souvenir que ficam perto da Torre Eiffel, na Sacré Cœr e em qualquer atração grande. Como em qualquer parte do mundo, é ali que os ambulantes enganam os turistas e vendem tudo superfaturado. Comprei lembrancinhas por 1/3 do preço (e uma qualidade melhor) em uma galeriazinha que fica no caminho do Palácio de Versailles à estação de trem da cidade. Vale a pena entrar nessas lojinhas. ;)
Algumas estações de metrô e trem só trabalham com máquinas de venda de ticket, sem funcionários nas bilheterias. Em algumas, ainda, a maquininha só aceita o dinheiro em moedas trocadinhas ou cartão de débito/crédito. Tive que pagar passagem com o crédito porque fui pega de surpresa em uma dessas estações. Guarde sempre as moedinhas pra essas ocasiões.
Os produtos vendidos nas lojas dentro da Disney Paris e na Disney Store da Champs-Elysées são diferentes. Claro que a grande maioria das peças é igual, mas tem coisas que são vendidas somente em uma ou outra. A gente tinha visto uma almofada do Darth Vader na Disney Store e deixamos para comprar nas lojas da Disney Paris. Adivinha? Era produto exclusivo da loja da Champs-Elysées. Então, é aquela coisa: curtiu alguma coisa, compra. Não deixa pra ver nas outras lojas Disney.
Prepare o nariz porque, sim sim sim, o povo lá não parece curtir muito um bom banho. Eu achava que essa história do budum dos franceses era mentira, mas tenho que concordar que o negócio é tenso por lá. Claro que a grande maioria é normal, mas a minoria que não curte um desodorante faz MUITA diferença. É aquela coisa de você estar no supermercado numa boa olhando os frios, um cara passar pelo corredor e OMG-DEIXARAM-UM-BICHO-MORTO-AQUI. Fui no verão, mas mesmo assim vi gente andando de sobretudo e blusa por lá. Essa foi a única explicação que fez sentido pra mim, pro povo ter esse cheirinho tão desagradável.

Vestidos nacionais com cara de anos 50

Esse é um dos posts mais acessados do blog, mas como só tem indicação de lojas internacionais que vendem vestidos com modelagem retrô, achei justo procurar por lojas que fizessem modelos parecidos aqui no Brasil. Nada melhor do que comprar, pagar em real, não ter que se preocupar em ser taxada, receber logo e ainda poder trocar caso não fique bom, né?

Tem duas lojas que sempre são paqueradas por mim e que acho que suprem bem esse desejo por vestidinhos com cara de vó. Nunca comprei em nenhuma das duas, mas as peças são tão lindas que sempre volto pra namorar alguma que eu tenha gostado mais. :)

Atelier Luiza Pannunzio

vestidos-vintage-luiza-pannuzio

Vivo enrolando para ir conhecer a loja da marca na R. Augusta, aqui em São Paulo. Na verdade, sempre que entro na loja virtual penso em ir até lá, mas quando estou pelas redondezas, esqueço. A loja tem saias, blusas, casacos e vários outros produtos, mas o que mais gosto são os vestidos. Modelagem linda e cores neutras, parecem ser vestidos que duram anos no armário. Só acho o preço um pouquinho salgado, mas como nunca fui à loja para conferir de perto, não sei dizer se o preço um pouco mais alto tem motivo por ser um tecido de alta qualidade ou não. Acredito que por ser uma ateliê e fazer peças em menor quantidade também influencie no preço final.

Chica Bolacha

vestidos-chica-bolacha

Conheci a Chica Bolacha na época do Plastic Fantastic porque sempre tinha leitora que mandava look usando alguma peça da marca. A marca, de Porto Alegre, é especializada em roupas plus size, mas também faz tamanhos menores. As roupas são super divertidas, com tecidos estampados e modelagem que favorece o corpo. Os vestidos são lindos (o que é esse com as guitarras, pelamor? LINDO!), mas gosto muito também dos moletons que eles lançam todo inverno.