julho 2010

Andei lendo: O Garoto da Casa ao Lado | Meg Cabot

Sempre achei que Meg Cabot só escrevesse romances infanto-juvenis e bem por isso (e pelo nome do livro), esperava algo mais adolescente desse livro. Me enganei, mas gostei do engano.

O livro conta a história de Melissa, uma jornalista que veio do interior para morar e trabalhar em NY, que um belo dia salva a vida de sua vizinha velhinha e rica ao encontrá-la machucada e desacordada em seu apartamento. A partir daí ela tem que cuidar do cachorro e dos dois gatos da vizinha e procurar pelo único parente vivo da velhinha, seu sobrinho, enquanto ela está em coma.

O tal sobrinho é um fotógrafo famoso e que pouco se importa com a tia, então resolve ir passar um tempo viajando com uma modelo e pede para um amigo ir em seu lugar, só para que se um dia a tia acordar, ache que ele esteve o tempo todo cuidando dos seus bichinhos e não o tire do testamento.

Claro que Melissa e John (o tal amigo) se apaixonam, namoram e ele não fala que não é o sobrinho da vizinha, nem seu verdadeiro nome. Claro que no final tudo dá certo, como todo bom chick-lit.

Ando meio cansa de chick-lit exatamente por isso: a mocinha ou o mocinho sempre fazem trapalhadas, mas no final todo mundo vive feliz para sempre e você sabe disso desde a primeira página do livro. Quase sempre, meio óbvio demais. O que diferencia é como os autores escolhem contar a história, né? E Meg Cabot se deu bem escolhendo contar toda a história só através de e-mails que os personagens trocam. É bem legal ver como cada personagem escreve. hehe.

Gostei, mas não é um livro que leria de novo. Por isso mesmo, ele vai para o Trocando Livros hoje mesmo. :)

Você tem que comer: Muffin de banana e chocolate, do Starbucks

Antes de qualquer coisa tenho que avisar: não sou daquelas pessoas doidas por Starbucks. Acho caro pra caramba, meu lado mão de vaca não me deixa virar fã do lugar. Mesmo assim vou com certa frequência porque, como disse aqui, faz um tempo que sempre que tenho que esperar o namorado no shopping mato o tempo por lá. E como eu tava adiando faz tempo começar essa tag, aproveitei a passadinha que dei por lá na semana passada para pedir uma das minhas coisas favoritas do menu, o muffin de banana e chocolate, quentinho.

Muffin acompanhado de Frapuccino de morango (que achei beeem fraquinho e muito doce).

Eu nunca tinha dado muita bola para os muffins, só comia quando tinha o de banana e a fome era muita. Até que um dia pedi e o caixa deu a dica, de colocar para esquentar. Pronto, viciei: a massa fica maciiia, quentinha e o chocolate, derretido. :9

Olha o chocolate derretido aí! :9

Vai super bem como Frapuccino de Manga e Maracujá (era para esse post ser sobre ele também, mas nesse dia estava em falta) e com o chocolate quente. Custa R$7 (não disse que os preços lá são salgados?).

A ideia aqui é dar a dica de coisas que como e adoro. E também receber dicas, né? Afinal, tenho que manter essa minha forma (de bola). :D

Andei lendo: Sussurro – 1º livro da série Hush Hush | Becca Fitzpatrick

Sexta-feira eu tinha que esperar o namorado no shopping. Ultimamente esperar no shopping pra mim é sinônimo de sentar no Starbucks, tomar frapuccino de manga e ler um livro ou uma revista. Não tô com saco para ficar olhando lojas, não quero gastar, então vou direto pro Starbucks e mato o tempo por lá.
Voltando à história: sexta-feira eu tinha um pouco mais de uma hora pra enrolar, mas tinha terminado de ler o livro que estava comigo e já tinha lido a Rolling Stone do mês (a única revista que realmente leio). Claro que isso foi motivo pra ir xeretar na livraria ao lado, procurando algum livro interessante, para passar o tempo. Foi assim que dei de cara com Sussurro, que já queria ler desde que li essa resenha da Pam. Estava com um preço bom, peguei. Ao chegar ao caixa a surpresa: eu tinha desconto, o preço ficou melhor ainda.
E foi assim que na sexta-feira comecei a ler o livro. No sábado li mais um pouco e no domingo fiquei até de madrugada terminando ele. Tinha que dormir, mas queria saber o final da história, então fiquei acordada. Ou seja: o livro me prendeu.
Sussurro conta a história de Nora, uma adolescente que teve o pai assassinado e mora com a mãe (que viaja muito a trabalho), em uma casa isolada da cidade. Ela tem uma vida totalmente normal, até que o professor de biologia resolve fazer os alunos trocarem de parceiros durante as aulas. Nora tem que se separar da melhor amiga, Vee, e é obrigada à dividir as atividades com o estranho e calado aluno novo, Patch, que é bem caladão, lindo e misterioso. Claro que isso faz com que Nora não pare de pensar nele e tentar descobrir cada vez mais coisas sobre o menino.
Depois dessa troca, começam a acontecer fatos super estranhos com Nora e ela tem a clara impressão de que está sendo seguida, vigiada e que alguém está tentando assassiná-la. Juntou tudo o que eu gosto: adolescente espertinha contando a história, galã bad boy e assassinatos. Hahah
Nora fica em dúvida de quem está seguindo ela: Patch ou Elliot, o outro menino novo na escola que tem um passado de suspeita de assassinato? Ela segue investigando os dois e descobre que Patch na verdade é um anjo caído, do tipo mal, que possui o corpo de humanos, planta imagens e pensamentos nas cabeças das pessoas e foi expulso do céu. Claro que isso só faz com que ela sinta mais atração por ele, né? Alô, 16 anos, gente!!
Não vou contar o final, mas posso falar que gostei bastante. Claro que dá pra comparar com Crepúsculo, mas nesse caso a mocinha é inteligente e o mocinho é um bad boy super interessante, o que faz o livro ser beeeem mais divertido.
Meu único problema: claro que no final do livro tinha que ter um pouco de melação e Patch faz um “sacríficio” pelo amor que sente por Nora. Mas tá, ignorei um pouco essa parte. hehe.
O livro tem uma sequência, que ainda não foi lançada por aqui, chamada Crescendo e que deve ser lançada no final do ano.
Também tem book trailer (que eu, particularmente, achei meio fraquinho), olha aí:

No site da editora tem blog, entrevista com a autora e fórum, pra quem se interessar.