janeiro 2010

O melhor dia de 2010, por enquanto.

Já falei por aqui que gosto muito de Metallica e que a banda é a trilha sonora oficial do meu namoro, né? Daí que o Henrique já tinha assistido ao show deles em 99, mas eu morria de vontade de assistir também. Por isso quando anunciaram o show, corri comprar ingressos e ontem fui para o Estádio do Morumbi para realizar um sonho. :D

Estádio às 19h, quando cheguei. Já estava bem cheio, mas depois ficou muuuito mais!
Estádio às 19h, quando cheguei. Já estava bem cheio, mas depois ficou muuuito mais!

 

Fomos na área VIP porque queríamos ver de pertinho e como minha pressão sempre baixa muito no meio da multidão prefiro ir na VIP para conseguir ver o show com todos os detalhes, tranquila.

[youtube:http://www.youtube.com/watch?v=v6cLCePm_CM&autoplay=1 500 405]

A banda de abertura foi o Sepultura e eu tinha MUITA vontade de assistir algum show deles. Não sou fã da banda, mas sempre achei que a energia do show deles deveria ser demais. Me decepcionei. O show se arrastou, o público não se animou muito e o Andreas Kisser ainda foi hiper antipático ao falar que estava “feliz por tocar no estádio do maior time de futebol do mundo” e trocar a camisa da selação brasileira por uma do São Paulo, na hora do bis. Todo mundo sabe que ele é são paulino, mas tinha que fazer isso? Achei bem antipático, mesmo.

Cadê Metallica, porraaaa?
Cadê Metallica, porraaaa?

Ao final do show do Sepultura, começamos a contagem regressiva: meia hora para o começo!

Quando o show começou, foi só alegria: Creeping death, For whom the bell tolls, The four horsemen, Harvester of sorrow e Fade to black deixaram o público pegando fogo. Até essa hora eu fiquei lá no meio da pista, no meio da multidão. A visão ali estava bem ruim, então resolvi ir mais para o fundo.

[youtube:http://www.youtube.com/watch?v=ee0mFro2f9A&autoplay=1 500 405]

Assisti That was just your life, The day that never comes, Sad but true, Broken, beat and scarred, One e Master of Puppets me esgoelando lá no fundo da pista, onde ainda estava beeem cheio, mas pelo menos eu via boa parte do palco. One é uma das minhas músicas favoritas e sempre achei que quando estivesse no show, com aqueles fogos de artifício, lança chamas e barulhos de balas eu iria chorar, mas não. Meu estado de alegria era tão grande que nem consegui ficar triste pela história da música, só fiquei com os olhos marejados.

E foi aí que aconteceu: minha pressão finalmente baixou e comecei a sua frio e sentir que ia desmaiar. Então fomos mais para perto da grade final da área VIP, me encostei ali e me deram água. Foi assim que “assisti” Blackened. Ainda bem que foi só o tempinho dessa música para me recuperar.

Passe pra felicidade. :D
Passe pra felicidade. :D

Aí fomos mais para a lateral do palco, onde estava mais vazio e fresco. Acabei ficando bem na grade perto do palco, na lateral esquerda. Eu nem tinha reparado, mas ali tinha uma partezinha do palco, com microfone e tudo. Era hora de ouvir Nothing Else Matters e Enter Sandman, assistindo tudo perfeitamente, pertinho do palco e das caixas de som. Após essas músicas, o Metallica saiu do palco.

A multidão gritou pela banda e eles voltam. Tocam o cover de Queen (Stone cold crazy) e Motorbreath como bis e saem de novo do palco. Todo mundo grita por Seek and Destroy e eles voltam ao palco para tocar a música. E aí o que acontece? Nada menos que Sr. Hetfield vir cantar parte da música ali, na minha frente, no microfone na lateral do palco. Fiz videozinho e tudo, olha como tava perto (minha câmera não faz vídeos com zoom, então essa é a distância correta):

[youtube:http://www.youtube.com/watch?v=bmhXl0Qo2d4&autoplay=1 500 405]

Demais, hein? O show realmente acaba e eles começam a atirar palhetas para os fãs. Eu e Henrique pegamos três, que ficarão guardadinhas para virarem quadros no nosso apê.

Palhetas: a sem caveiras usada + caveira de James Hetfield + caveira de Lars Ulrich.
Palhetas: a sem caveiras usada + caveira de James Hetfield + caveira de Lars Ulrich.

Minhas fotos do show ficaram péssimas, mas fiz alguns videozinhos. Os melhores são esses três que ilustraram o post e por favor, não repare nos meus berros em alguns deles. ;)

E foi assim o melhor dia de 2010, até agora. Muito, muito bom. Fiquei até com invejinha do Henrique, que à essa hora tá lá no estádio esperando pelo segundo show do Metallica no final de semana. X)

Pra decorar a casa e prestigiar artistas nacionais

Hoje recebi o link de uma nova loja virtual muito legal: Cartazêra. Como o nome já diz, é uma loja de cartazes (posters) feitos somente por designers e ilustradores brasileiros.

Os posters são em formato A2 (42 x 59,4 cm) e vêm com certificado de autenticidade e assinatura do artista. O preço é de R$48 cada.

Princess in green, da Anna Anjos, que eu ADORO. Já falei dela há um tempão aqui, lembra?
Princess in green, da Anna Anjos, que eu ADORO. Já falei dela há um tempão aqui, lembra?

.

On the road, do Walkir Fernandes.
On the road, do Walkir Fernandes.

.

Sorrows da Suraya.
Sorrows da Suryara.

O mais legal de tudo é que se você é ilustrador ou designer pode enviar sua arte pra lá e, se for aprovada, ela vira cartaz também!

Ótima pedida pra quem tá procurando alguma coisa pra pendurar na parede de casa. ;)

Acabei de conhecer: Nerdcast

Não é que eu tenha acabado de conhecer o Nerdcast. A verdade é que sabia há muito tempo que ele existia, mas nunca tinha ouvido nenhum. Eu era daquelas que ouviu uma vez na vida um podcast chato e ficou achando que todo podcast era um saco, sabe? Pois é.

Aí de tanto ver a Michelli, o Barone e alguns colegas de trabalho falando tanto sobre ele resolvi dar uma chance. E viciei. MUITO. Tanto que minha leitura tá super atrasada porque fiquei dois meses sem ler nada no caminho trabalho-casa, só ouvindo Nerdcast. Vício total.

bg_nerdcast_post

Quem não conhece, pergunta: O que diabos é isso? O Nerdcast é um podcast feito por Alexandre Ottoni (o Jovem Nerd) e Azaghâl, donos do blog Jovem Nerd. No podcast são discutidos temas variados, sempre tendo como convidados amigos (de infância ou não) dos dois, outros blogueiros ou especialistas no assunto da semana. Os assuntos variam entre tudo o que pode interessar um nerd: livros, filmes, teorias da conspiração, jogos, televisão e histórias de vida em geral. Tudo sempre muito engraçado.

Os convidados são ótimos mas são muitos, meus favoritos são: Sra. Jovem Nerd, Portuguesa, Tucano, Sr. K, JP e Blue Hand. A Sra. Jovem Nerd e a Portuguesa são as convidadas que dão um toque de humor feminino e as histórias e opiniões delas são ótimas. O Tucano e o Sr. K têm as melhores histórias (sempre hiper doidas) e o Sr. K ainda tem um humor muito (MUITO) parecido com o do meu namorado. JP é o carioca-sem-noção e o Blue Hand sabe tudo sobre tudo, é incrível.

Agora que já terminei de ouvir todos os Nerdcasts que já foram ao ar, fiz uma lista dos que mais gostei (e que são super engraçados!):

025 – Coca-cola, Cheetos e Dança da Vassoura: histórias de adolescência. Bailinhos, moda e música que fizeram parte dos adolescentes dos anos 90.

052 – Histórias de outros carnavais: 5 homens contando as histórias mais doidas de Carnaval. Esse foi um dos Nerdcasts que mais me fizeram rir e o Sr. K tem que ser mencionado. Uma das histórias do Sr. K até virou um curta de animação, aqui. MUITO BOM!

053 – Dossiê Infância: hora de lembrar as histórias de infância. Tem várias histórias em que pensei “putz, podia ser eu”. hahahah

077 – Mas que mania!: sou uma pessoa cheia de manias, então me identifiquei com várias!

088 – Meu mico mico meu: quem não gosta de ouvir histórias de micos alheios? Eu adoro!

090 – Eu só trabalho aqui: histórias sobre o ambiente de trabalho. Esse foi o Nerdcast que mais me fez rir, eu chorava de rir dentro do ônibus.

107 – Valor energético de 8000 Kcal: dietas! Eu morri de rir com os pensamentos totalmente verdadeiros sobre gordinhos e dietas. Tinha hora que parecia que tinham tirado as palavras da minha boca.

128 – Os Trapalhões, Cacilds!: nada mais justo que um Nerdcast só para relembrar o melhor grupo de comédia infantil que o país já teve.

132 – Bêbado e na mão do palhaço: as histórias de bêbado eram tão feias que as vozes foram disfarçadas. Claro que dá pra identificar quem é quem e aí fica mais engraçado ainda.

138 – Simplesmente um luxo, meu amoooor!: manias e coisas de gente rica. Luxo, glamour e coisas ridículas.

154 – Eu ainda estou desgraçado da minha cabeça: terceira parte de um Nerdcast sobre coisas irritante (os outros aqui e aqui). Como existe coisa que irrita! Grrrrr!!!

171 – Isso é coisa de f#dido!: manias e coisas de pobre. Duvido que você não encontre pelo menos 5 coisas que faz no meio das coisas de f#dido.

Além desses, os históricos e os de coisas dos anos 80 são ótimos também.